Anemia: causas, sintomas, tratamento e curiosidades

Com diversos tipos de causa, a baixa quantidade de hemoglobina no sangue pode ser fatal

0

A anemia é uma condição onde a hemoglobina contida no sangue, levada pelas hemácias e pelos glóbulos vermelhos, fica abaixo na quantidade ideal para o funcionamento do corpo. Isso faz com que o organismo diminua sua capacidade de transportar oxigênio. Sua causa é a falta dos nutrientes essenciais no organismo.

Todas as pessoas podem ser afetadas pela anemia em qualquer estágio da vida. Entretanto, crianças, gestantes, lactantes e idosos são mais propensos, por seu estado de maior vulnerabilidade. Uma pessoa pode tanto nascer portadora de anemia (anemias hereditárias), quanto adquiri-la ao decorrer do tempo, de acordo com seus hábitos cotidianos (anemias adquiridas).

Hereditárias

Geralmente, as pessoas com anemias hereditárias nascem com alterações genéticas que dificultam a fabricação do glóbulo vermelho. As anemias hereditárias mais comuns são as anemias do mediterrâneo, também chamada de talassemias, comuns àqueles com ascendência portuguesa, libanesa e espanhola e a anemia falciforme, comum em brasileiros e em pessoas com ascendência africana.

Imagem ilustrando o formato das células (Normal e falciforme).

Adquiridas

Sua principal causa é a falta de determinados nutrientes. Entretanto, pode ocorrer por decorrência de outra doença ou até alterações na medula óssea, por exemplo. Quando se refere a falta de nutrientes, os principais a se tornarem causa de anemia são o ferro (mineral) e a vitamina B12. Isso acontece, pois, quando o corpo possui baixa absorção de ferro, a medula óssea fica impedida de conseguir produzir hemoglobinas da forma esperada, então o corpo manifesta a anemia.

Sintomas aparentes

Apesar de os sintomas não serem suficientes para confirmar o diagnóstico, sendo necessária a realização de exames, os principais aparentes naqueles que tiveram a condição anêmica confirmada foram:

  • Falta de apetite;
  • Palidez;
  • Tontura;
  • Dor no peito;
  • Apatia;
  • Dor de cabeça em excesso;
  • Falta de ar;
  • Perda de peso;
  • Olhos amarelados e esbranquiçamento da gengiva;
  • Dificuldade de aprendizagem e formigamento de mãos e pés (além de estes ficarem gelados boa parte do tempo).

Além disso, em alguns casos, indivíduos com anemia costumam desejar comer substâncias não comuns para a alimentação, como gelo ou grãos crus.

Tipos, causas e possíveis tratamentos

Falciforme

Alteração genética que faz com que os glóbulos vermelhos atenham sua membrana alterada e adquiram uma forma diferente (parecida com uma foice) que facilita seu rompimento (que causa anemia). Geralmente são recomendadas transfusões de sangue, suplementação de ácido fólico, antibióticos e até a administração do oxigênio.

Imagem ilustrando o formato das hemácias,.

Causada por perda de sangue em excesso

Geralmente ocorre em acidentes, hemorragias ou até em fluxo excessivo de menstruação. Essas perdas de sangue são lentas e geralmente pouco percebidas, o que faz com que o organismo passe a se adaptar a condição de atuar com baixas taxas de hemoglobina (o que pode causar um problema crônico de falta de ferro).

Baixa produção de glóbulos vermelhos

Forma mais comum de anemia, que ocorre pela falta dos nutrientes necessários ao funcionamento do corpo (como o ferro).

Ferropriva

Causada pela falta de ferro no organismo, esse tipo de anemia faz com que haja diminuição na produção dos glóbulos vermelhos e das hemácias. O tratamento é realizado por meio de dietas específicas e a ingestão de suplementos férricos.

Aplástica

Essa é uma anemia rara e letal. Nesses casos, a medula óssea é substituída por gordura, o que faz com que as células (tanto os glóbulos vermelhos, como os brancos e as plaquetas) não sejam produzidas de maneira ideal. Esse tipo de anemia pode ser manifestado de formas e intensidades distintas. O tratamento pode incluir desde transfusões de sangue até um transplante de medula óssea, para aumentar os níveis de hemoglobinas ou conseguir produzi-las.

Causada por outras doenças

A diabetes e problemas na tireoide, por exemplo, podem impedir que o corpo utilize o ferro armazenado no corpo, causando anemia.

Hemolítica

Pessoas portadoras de anemia hemolítica tem seus glóbulos vermelhos destruídos e descartados pelo corpo antes do tempo convencional (que, em pessoas saudáveis, costuma ser pouco mais de 100 dias). Esse curto prazo faz com que a medula óssea não tenha prazo o suficiente para produzir novas células.

O tratamento inclui medicamentos que melhorem o sistema imunológico da pessoa e o combate a determinadas infecções que abalam esse sistema. Ainda, pode incluir transfusões ou filtragens no sangue.

Megaloblásticas e Perniciosas

São as anemias causadas por falta da vitamina B12. A megaloblástica acontece quando a ingestão de alimentos com vitamina B12 não é suficiente para suprir as demandas do organismo. Já a perniciosa é considerada uma doença autoimune que impede o corpo de absorver essa vitamina dos alimentos. Tratamento realizado pelo consumo de suplementos que aumentem a quantidade de ácido fólico e vitamina B12 no organismo.

Situações propícias à anemia

Dietas restritas a certas vitaminas:  para o funcionamento pleno do organismo, é necessário o consumo equilibrado de todas as vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e lipídios.

Menstruação: durante a menstruação, a perda de glóbulos vermelhos é certa. Entretanto, quando o fluxo é intenso, essa perda pode ser excessiva ao ponto de atrapalhar o funcionamento do corpo.

Cirurgia bariátrica: A remoção do estômago e a cirurgia bariátrica fazem com que o corpo diminua a capacidade de absorção da vitamina B12. Por isso, é necessário fazer tratamento pós-operatório para garantir que essa perda não seja suficiente para ocasionar uma anemia.

Gravidez: Ao considerar que, durante a gravidez, o corpo dá origem a outro corpo e precisa nutrir este segundo com todo o tipo de alimento que ingere, as mulheres gravidas precisam ingerir suplementos multivitamínicos para suprir essa demanda excessiva. Pelo contrário, há grandes chances de desenvolver anemias.

Distúrbios intestinais: A doença de Crohn (celíaca), por exemplo, atrapalha a absorção de nutrientes do corpo.

Imagem Ilustrando locais de atuação da doença de Crohn

Exames e diagnóstico

Os principais especialistas a serem consultados para o diagnóstico da anemia são o clínico geral, o endocrinologista e o hematologista. Para diagnosticar essa condição, os exames mais solicitados pelo corpo médico são os exames laboratoriais específicos para analisar a quantidade de vitaminas presente no corpo, o hemograma completo (que verifica, principalmente, a condição da hemoglobina) e alguns exames físicos.

O principal indicador de anemia são as taxas de hemoglobina presentes no corpo. Assim, é considerado que mulheres estão anêmicas quando sua hemoglobina está menor que 12g/dl, homens quando menor de 13g/dl, crianças e grávidas (até os 5 anos) quando menor de 11g/dl.

Curiosidades

  1. Mesmo uma anemia “leve” pode ser grave. Mesmo quando a anemia diagnosticada for indicada como leve, ela pode ser sinal de um problema de saúde grave.
  2. Beber café logo após as refeições atrapalha a absorção eficiente de ferro dos alimentos consumidos.
  3. Adeptos a dieta vegetariana não possuem necessariamente maior propensão a deficiência de ferro. O ferro 100% vegetal (não-heme) é encontrado em diversas hortaliças verde-escuro, leguminosas e frutas. Apesar de esses alimentos possuírem biodisponibilidade menor, ainda assim são bem absorvidos pelo corpo; o que reforça a necessidade de uma alimentação balanceada e sortida.

Veja também:  A importância dos sais minerais

você pode gostar também