Volta às aulas em 2021? Saiba como preparar o retorno do seu filho

Confira as novidades sobre o material escolar e o retorno previsto das aulas na rede pública.

0

O retorno às aulas em 2021 vai ser bem diferente do habitual. Em meio às grandes incertezas geradas pela pandemia do novo coronavírus, as instituições de ensino ainda não estão certas sobre a volta presencial. As escolas particulares oferecem aos pais a escolha por manter remoto, presencial ou híbrido. A rede pública, por sua vez, está com o retorno do ano letivo marcado para 8 de março, e ainda vai avaliar o cenário da pandemia antes de definir a modalidade. 

Em 2020, aproximadamente 30% dos alunos tiveram aulas presenciais, enquanto os demais optaram pela modalidade remota. Para este ano, a expectativa é que esse percentual se inverta. Alexandre Veloso, presidente da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do Distrito Federal (Aspa-DF), defende que a escola é um lugar seguro. “Estamos vendo que há planejamento adequado e que os protocolos estão sendo seguidos. Os alunos serão acompanhados de perto para saber se estão com sintomas ou não”, afirmou em entrevista ao Correio Braziliense. 

Contudo, outros pais preferem manter as aulas remotas, como é o caso de Vanessa Bernardes. “Enquanto não houver vacina, eles não voltam para a escola”, explica. 

Material escolar

Nas papelarias, o clima é de otimismo. Erivonaldo Rufino da Silva, gerente de uma loja do Cruzeiro, acredita que o movimento vai aumentar na segunda quinzena de janeiro. “Os pais costumam deixar para a última hora. Até achamos que poderiam antecipar, por conta do isolamento social e para evitar aglomerações, mas ainda não tem muita gente vindo”, destaca.

O gerente explica que percebeu os impactos da crise econômica não apenas pela busca por produtos mais baratos, mas também por conta de alguns pais que precisaram transferir os filhos para a escola pública. Sobre a questão dos materiais, ele acredita que os adultos vão conseguir aproveitar muitos objetos duráveis, como mochilas e uniformes, “mas canetinhas e giz de cera, por exemplo, que são consumíveis, foram usados durante o período em casa, até para as crianças terem como passar o tempo”, acrescenta. 

Além disso, Marcelo Nascimento, diretor-geral do Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon DF), explica a importância dos pais ficarem atentos às listas de materiais escolares. “Eles não precisam comprar, de uma vez, todos os itens da lista, sem saber como será o ano escolar com a pandemia. O material pode ser entregue de forma parcelada, no decorrer do ano, até oito dias antes de cada atividade em sala de aula”. 

O diretor também acrescenta: “O Procon recomenda que os pais procurem a escola e questionem pedidos repetidos de materiais que não foram utilizados no ano passado e que podem ser reaproveitados agora. É esperado que a lista venha menor em 2021, mais barata, depois de termos um ano praticamente sem aulas, com escolas fechadas”. 

Além disso, as escolas não podem cobrar os itens de higiene à parte, nem através de taxas extras. 

Rede pública

O calendário escolar para o ano letivo de 2021 foi aprovado no dia 31 de dezembro do ano passado, marcando início das aulas para 8 de março e término em 22 de dezembro. Aos sábados, os alunos deverão ter aulas remotas. No total, vão ser 200 dias letivos. 

Alexandre Veloso, da Aspa-DF, espera que o governo consiga determinar, em breve, uma posição a respeito do retorno nas escolas públicas, mantendo a possibilidade do ensino remoto, bem como a alternativa do retorno presencial. 

Você também pode se interessar por: 5 dicas certeiras para diminuir a ansiedade do professor

você pode gostar também
Deixe um comentário