Clarice Lispector

Clarice Lispector foi uma das maiores escritoras do Brasil.

0

Quem foi Clarice Lispector? Foi uma das principais escritoras do Brasil durante o século XX, além de compor o rol de escritores da terceira fase do modernismo, intitulada de “Geração 45”.

Em razão da relevância de suas obras, Clarice Lispector recebeu vários prêmios, como o Prêmio Graça Aranha e o Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal.

Biografia

Clarice Lispector nasceu no dia 10 de dezembro de 1920, na Ucrânia. De origem judia, ainda bebê se mudou para o Brasil junto com os pais, fugindo das perseguições da Guerra Civil Russa (1918-1920).

Em 1921 desembarcam no Brasil e passam a viver em diversas cidades, como Maceió, Recife e Rio de Janeiro.

Clarice Lispector estudou várias línguas desde muito cedo, além de ter aulas de piano. Foi considerada uma boa aluna, além de gostar de escrever poemas.

Com 19 anos, ela ingressou na Escola de Direito da Universidade do Brasil e passou a se dedicar à sua maior paixão, a literatura.

Estudou psicologia e antropologia. Em 1940, publicou sua primeira obra chamada, Triunfo. Na década de 1940, ingressou no jornalismo, trabalhando como repórter e redatora no Diário da Noite, na Agência Nacional e no Correio da Manhã,

Em 1943, se casou com Maury Gurgel Valente e juntos tiveram dois filhos. O primogênito possuía esquizofrenia e o segundo foi batizado por Érico Veríssimo.

Em razão da profissão de seu marido – diplomata – Clarice viveu em vários países do mundo. Em 1959, ela se divorcia e retorna ao Rio de Janeiro com os filhos.

Naturalizada brasileira, Clarice Lispector se considerava brasileira e pernambucana.

Ela morreu um dia antes de completar 57 anos, vítima de um câncer no ovário.

Principais obras

Vejamos as principais obras de Clarice Lispector:

  • A bela e a fera (1979);
  • Um sopro de vida (1978);
  • A hora da estrela (1977);
  • Água viva (1973);
  • Felicidade clandestina (1971);
  • Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres (1969);
  • A legião estrangeira (1964);
  • A paixão segundo G. H. (1961);
  • Laços de família (1960);
  • A maçã no escuro (1949);
  • A cidade sitiada (1949);
  • O lustre (1946);
  • Perto do coração selvagem (1944).

Frases de Clarice Lispector 

Selecionamos algumas frases de Clarice Lispector para você apreciar:

  • “Gostar de estar vivo dói”.
  • “Bem sei que é assustador sair de si mesmo, mas tudo o que é novo assusta”.
  • “Dor é vida exacerbada”.
  • “Civilizar minha vida é expulsar-me de mim.”
  • “A loucura é vizinha da mais cruel sensatez.”
  • “Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.”

Poemas de Clarice Lispector

A perfeição
O que me tranquiliza
é que tudo o que existe,
existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete
não transborda nem uma fração de milímetro
além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe
com essa exatidão
nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós
como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos,
a perfeição.

Mão

Agora preciso de tua mão,
não para que eu não tenha medo,
mas para que tu não tenhas medo.
Sei que acreditar em tudo isso será,
no começo, a tua grande solidão.
Mas chegará o instante em que me darás a mão,
não mais por solidão, mas como eu agora:
Por amor.

Mas há a vida

Mas há a vida
que é para ser
intensamente vivida, há o amor.

Que tem que ser vivido
até a última gota.
Sem nenhum medo.
Não mata.

Curiosidades

  • Seu nome verdadeira era Chaya Pinkhasovna Lispector;
  • Foi tradutora de livros literários;
  • Foi convidada a palestrar na I Conferência Mundial das Bruxas, na Colômbia.

Saiba mais em:

você pode gostar também