Conheça o cientista Louis Pasteur

Apesar de ser pintor e ter se formado em Letras, Pasteur se especializou em química e física e revolucionou estudos da medicina

0

Natural de Dole, na França, Louis Pasteur (1822 – 1895) foi um cientista e bacteriologista conhecido por suas descobertas científicas para o combate à infecções. Era filho de um sargento do exército francês e se mudou para Arbois com sua família logo após seu nascimento.

Casou-se com a filha do reitor da Universidade de Estraburgo, onde lecionou, Marie Laurent. Durante sua carreira, por consequência do grande sucesso de suas pesquisas, Pasteur foi membro da Academia de Medicina, da Academia de Ciências e da Academia Francesa.

Durante sua juventude, pintou diversos retratos que hoje são expostos no Instituto Pasteur de Paris, um instituto de pesquisa criado em 1888 para desenvolver seus estudos de doenças infecciosas.

Apesar de ter ingressado na sessão científica da Escola Normal Superior de Paris, para se tornar professor, interrompeu seus estudos e finalizou seu bacharelado em Letras no Colégio Real da Pequena Besançon, após retornar a Arbois para junto de sua família. Entretanto, com pouco tempo de atuação na docência foi capaz de perceber sua pouca aptidão para lecionar. Assim, retornou a Paris para voltar a estudar.

Se especializou em Física e Química na Escola Normal Superior e passou a trabalhar como assistente do químico Antoine Jerôme Balard. Mesmo tendo abandonado a área das linguagens, em 1848, com 26 anos, Pasteur foi nomeado professor de Física Elementar em uma escola secundária na cidade de Dijon.

O químico com quem trabalhava e outros docentes da escola foram contra essa nomeação. Em menos de um ano, foi indicado para lecionar Química na Universidade de Estraburgo e, em 1854, troca a Universidade de Estraburgo pela Universidade de Lille.

Revolução da ciência

Apesar de Francesco Redi ter tentado (e praticamente conseguido) derrubar a teoria da abiogênese (também chamada de geração espontânea), que defendia o fato da vida surgir de forma espontânea, quem realmente deixou essa teoria comprovada foi Louis Pasteur.

O cientista francês comprovou a teoria da biogênese por meio de um experimento em que utilizou caldo de carne dentro de frascos selados (frascos com pescoço de cisne).

Pasteur ferveu ambos os frascos, e quebrou o gargalo (parte superior semelhante uma tampa, que antes era selada) de um deles. No que teve o gargalo quebrado, foi percebido crescimento microbiano, já no vidro que permaneceu intacto, o líquido ficou estéril. Assim, conseguiu demonstrar que uma vida só surge a partir de outra que já existe.

Experimento de Pasteur
Experimento de Pasteur

A partir do momento em que comprovou a teoria da Biogênese, Pasteur foi peça primordial para o desenvolvimento do processo de pasteurização, método que tem como objetivo matar bactérias que existem nos alimentos, como prevenção de doenças.

Em seu estudo, realizado em 1864, Pasteur concluiu que as bactérias são responsáveis pelo azedamento e que, a 60ºC, essas bactérias não resistiam. Assim, a solução que encontrou foi permanecer os alimentos e produtos a essa temperatura até ser possível embalá-los em potes herméticos, para impedir o contato com o ar; onde também milhões de bactérias.

No Brasil, a pasteurização do leite é obrigatória para a comercialização do produto. Isso acontece, pois no leite existem germes e bactérias provenientes da própria vaca. Por isso, não é recomendável ingerir leite de origem animal sem antes ferver ou pasteurizar.

Outro ramo em que o francês Pasteur fez grandes contribuições foi a Estereoquímica (tal qual só conseguiu se desenvolver a partir das descobertas de Louis Pasteur). A principal base de estudos de Louis nessa área foi o ácido tartárico (presente no vinho) e sua descoberta. Em resumo, seu estudo foi em cima da constituição molecular dos cristais salinos formados por esse ácido nos tonéis de vinho.

Para o experimento, preparou uma solução aquosa de ácido tartárico e a analisou em um polarímetro sob luz polarizada. A partir disso, pôde estabelecer uma relação entre a forma exterior dos cristais, sua constituição molecular e o modo em que age quando está sob luz polarizada.

A partir dessa experiência, conseguiu formular a hipótese da assimetria molecular, onde as propriedades das substâncias dependem de suas condições espaciais, não apenas da natureza de seus átomos.

Em 1885, a principal descoberta do cientista francês foi a vacina contra a raiva e o tratamento contra a raiva humana. Essa descoberta foi realizada por meio de sua teoria germinal das enfermidades infecciosas que concluiu que diversas doenças têm como causa principal a contaminação por microrganismos, que podem facilmente se propagarem nas pessoas.

Por ter descoberto e estudado o funcionamento e a vida desses microrganismos patogênicos, procurou meios de combatê-los, como as vacinas e a adoção de melhores práticas de higienização e esterilização dos ambientes.

Foto Wikipédia – Louis Pasteur

Veja também: Teoria abiogênese: o que foi?

 

você pode gostar também