Acidentes Nucleares

Os acidentes nucleares provocam contaminações radioativas que podem atingir milhares de pessoas e contaminar o meio ambiente.

0
O que são acidentes nucleares? Os acidentes nucleares envolvem dispositivos e materiais nucleares e radioativos, respectivamente.

As contaminações radioativas podem acontecer a partir dessas ocorrências.  Em muitos casos, o acidente envolve a liberação de uma radioatividade reduzida, mas com uma radiação direta grande.

Isto é, mesmo  que o material radioativo seja pequeno, sua radiação pode atingir um grande número de pessoas.

Atualmente, a energia nuclear corresponde a 17% da geração de energia elétrica no mundo. Mesmo não gerando gases de efeito estufa, o risco se concentra nos resíduos de alta radioatividade que se atingidos nos seres humanos, podem causar doenças e mortes.

Além disso, a possibilidade de acidentes nas usinas podem ser completamente devastadoras.

Maiores acidentes nucleares

Os maiores acidentes nucleares foram:

  • Chernobyl (1986)
  • Three Mile Island (1979)
  • Kyshtym (Ozyorsk – 1957)
  • Césio – 137 (1987)
  • Tokaimura (1999)
  • Seversk (1993)
  • Yucca Flat (1970)
  • Windscale (1957)
  • Bohunice (1977)
  • Fukushima (2011)

Principais acidentes nucleares

Os principais acidentes nucleares foram:

Three Mile Island (1979)

Esse acidente atingiu o nível 5 na Escala Internacional de Eventos Nucleares. A usina sofreu superaquecimento devido a um problema mecânico. Para não explodir, os técnicos preferiram liberar os vapores e gases.

Não há relatos de mortes pela radiação, mas cerca de 25 mil pessoas tiveram contato com os gases liberados.

Ocorreu na Pensilvânia, Estados Unidos, no ano de 1979.

Chernobyl (1986)

Ocorrido na Ucrânia, foi o maior desastre nuclear da história. Aconteceu quando um reator da usina apresentou problemas e liberou uma nuvem radioativa com 70 toneladas de urânio e 900 de grafite.

Esse desastre é responsável por milhares de mortes. Atingiu o nível 7 de gravidade da Escala Internacional de Acidentes Nucleares , o mais alto nível.

Após o acidente, vários trabalhadores foram enviados à usina para apagar as chamas. Eles morreram por não terem o equipamento adequado.

A solução encontrada foi construir uma estrutura de concreto, chumbo e aço no local da explosão. Entretanto, por apresentar fissuras, o local até hoje é considerado nocivo por conta da radiação.

As partículas radioativas emitidas em Chernobyl foi cerca de 200 vezes maior do que as emitidas pela bomba atômica de Hiroshima, lançada contra o Japão na II Guerra Mundial.

As consequências do acidente nuclear ocorrido em Chernobyl foram:

  • Milhares de mortes
  • Animais, rios e florestas foram contaminados
  • A cidade que comporta a usina até hoje é desabitada

Acidentes nucleares no Brasil

O Césio-137 foi o maior acidente radioativo ocorrido fora de uma instalação nuclear no mundo. Aconteceu em Goiânia, no ano de 1987, o acidente radioativo de nível 5 segundo a Escala Internacional de Eventos Nucleares.

Dois catadores encontraram um aparelho de radioterapia e o levaram a um ferro-velho. Após desmontar o equipamento, eles encontraram uma cápsula de chumbo com cloreto de césio em seu interior.

A coloração brilhante do cloreto de césio impressionou um dos catadores que o levou consigo e distribuiu entre os familiares e vizinhos.

A partir do contato com a substância náuseas, vômitos e diarréia atacaram as pessoas. Onze morreram e mais de 600 foram contaminadas.

A exposição à radiação atingiu cerca de 100 mil pessoas.  Foi construído um depósito em Abadia de Goiás para o armazenamento do lixo atômico.

O acidente nuclear e a saúde das pessoas

Os prejuízos que os acidentes nucleares causam à vida das pessoas são enormes. Citemos alguns:

  • Mortes;
  • Problemas respiratórios;
  • Câncer: É um dos problemas mais associados à radiação.  A radioatividade acelera o “relógio biológico” das células, formando tumores. Eles demoram cerca de 10 anos para se manifestar após o contato.
você pode gostar também
Deixe um comentário