Qual a conexão entre o Sol e os seres humanos?

Não apenas primordial para a sobrevivência e perpetuação da espécie humana, a luz solar permite o desenvolvimento de todos os organismos da Terra

0

Considerada fonte de luz e de vida, o Sol é a estrela mais próxima da Terra, e é constituída por gases incandescentes. No núcleo do sol acontecem reações termo-nucleares que geram a energia transmitida por ela. Isso acontece, pois, diferente da lua, que não gera energia, apenas a reflete, o Sol produz a própria luminância.

Entretanto, apesar de a luz solar consistir em uma das maiores, senão a maior, fontes de energia para a Terra, apenas parte da radiação solar é visível aos olhos humanos.

A intensidade da luz solar varia muito ao decorrer do ano, e é disso que se constitui as chamadas estações pelas quais o ano é dividido. Cada estação simboliza uma diferença na intensidade da luz solar que incide sobre o planeta Terra.

Então, basicamente, em estações mais frias, como o outono e o inverno, a incidência da luz do sol ocorre por menos tempo e é menos intensa. Em contraponto, no verão e na primavera, principalmente, o sol é mais intenso e sua luminância tem maior duração.

Vitamina D

O sol é muito importante aos seres humanos em diversos aspectos diferentes. Primeiro, é o maior responsável pelo desenvolvimento de todo o meio ambiente, como plantas e animais. Contudo, é primordial para o próprio funcionamento do corpo humano.

Em entrevista para o Bem Estar, o reumatologista Cristiano Zerbini esclareceu o funcionamento da vitamina D no corpo e a importância do sol para sua absorção. Segundo o médico, é o sol o responsável pela maior parte da captura de vitamina D realizada pelo corpo humano.

De acordo com o especialista, os raios solares são absorvidos pela pele, seguem pelos rins até chegar ao fígado, que é onde acontece a transformação em vitamina D. Quando esse processo ocorre, a vitamina D age colaborando para a própria assimilação do cálcio, prevenção da osteoporose, fortalecimento e tonicidade muscular, além de manter o equilíbrio.

Zerbini ainda explica que a falta dessa vitamina pode ser detectada por meio de exames de sangue, testes laboratoriais como a análise de urina, doenças como o raquitismo em crianças e a falta de equilíbrio em adultos.

Radiação ultravioleta e infravermelha

Dois tipos de radiação emitidas pelo Sol muito conhecidas e igualmente confundidas são a ultravioleta e a infravermelha. Em resumo, a radiação ultravioleta promove o bronzeamento da pele, mas, a longo prazo, quando absorvida em excesso e sem proteção, pode causar câncer. Já a radiação infravermelha é responsável pelo aquecimento da terra.

Ela ocorre quando a luz solar que atinge a superfície da Terra é absorvida pelo solo, água e seres vivos e emitidas de volta para a atmosfera (já em forma de radiação infravermelha). A maior parte dessa radiação é absorvida pelos fases do efeito estufa, fazendo com que a atmosfera impeça que o calor seja dissipado e consequentemente evitando o resfriamento da Terra.

Protetor x Bloqueador Solar?

Segundo a dermatologista Adriana Benito, da rede de clínicas Pró-Corpo Estética, enquanto os componentes do protetor solar absorvem e transformam os raios UVA e UVB em luz inofensiva à pele, o bloqueador, que contém óxido de zinco ou dióxido de titânio, reflete a radiação UV.

Ou seja, enquanto o protetor colabora para a absorção dos raios solares de forma benigna ao corpo, o bloqueador impede a penetração dos raios solares, perdendo também os benefícios que a luz solar promove ao ser humano. No geral, o bloqueador solar é utilizado por pessoas de pele excessivamente claras ou sensíveis, ou que fizeram procedimentos cirúrgicos ou dermatológicos, como o peeling.

O cálculo que a indústria de cosméticos utiliza para se calcular quanto tempo a pessoa estará protegida com o protetor solar, ela leva em conta o tempo em que uma pessoa branca demora para ficar com sua pele avermelhada.

Se esse tempo for de 5 minutos, por exemplo, multiplica-se esse tempo por 15, e o resultado é o tempo em que a pele estará protegida. No caso, seria de 75 minutos, ou 1 hora e quinze minutos. Após esse período, a pessoa deve reaplicar o protetor.

5 dicas para aproveitar sol de forma correta

  1. Aplique o protetor (filtro) solar ideal para seu tipo de pele.
  2. Tome banho de sol por 15 minutos diários (mínimo de três vezes por semana), antes das 10 horas ou após às 16 horas.
  3. Combine a exposição ao sol com atividades físicas ao ar livre, como caminhadas, corridas ou alongamentos.
  4. Evite a ingestão de álcool durante a exposição solar.
  5. Coma alimentos enriquecidos com licopeno, um antioxidante que diminui a vermelhidão e as chances de queimaduras na pele causadas pela exposição ao sol. É possível encontrar essa substância em alimentos como o mamão, a melancia, a goiaba, o tomate, a manga e a cenoura.

 

você pode gostar também