Qual o papel da Educação Infantil durante a pandemia?

Psicopedagoga ressalta importância das crianças se comprometeram com a educação infantil antes dos dois anos de idade.

0

As questões sobre manter ou não os filhos pequenos nas instituições de ensino durante a pandemia é uma das maiores preocupações das famílias neste período. A psicopedagoga Sueli Marciale, que acumula anos de experiência em educação infantil, respondeu essas e outras perguntas em entrevista ao Estadão. Confira.  

“Se considerarmos reflexões trazidas por Zygmunt Bauman sobre a complexidade do mundo de hoje, a fluidez e rapidez das informações, as incertezas e a necessidade de desenvolver várias competências para lidar com esse cenário, entendemos que a escola vem cumprindo seu papel de preparar os alunos nesse sentido.

A escola, seja no ambiente virtual ou presencial, continua sendo um espaço de socialização, de trabalho com valores como empatia, solidariedade e convivência democrática.”

Sueli, que também é diretora assistente da Unidade Granja Vianna, continua: “A criança de 2 anos em diante mostrou-se capaz de se adaptar à nova situação, mediada por professores que ressignificaram ambientes de aprendizagem, adequaram ferramentas e propiciaram condições diferenciadas para o desenvolvimento de várias habilidades, entre elas as socioemocionais.

A grande conquista foi a aprendizagem baseada em projetos em que demonstraram interesse por situações de cuidado consigo mesmo, com os amigos, com animais de estimação, com a natureza e propostas, de acordo com as faixas etárias.”

Sendo assim, ela reafirma a importância da educação infantil desde os dois anos, mesmo que não seja obrigatória nessa faixa etária. Entre os principais fatores positivos e educativos nesta fase, a psicopedagoga ressalta a convivência com outras pessoas e formação de vínculos.

“A criança conhecerá outras pessoas, formará vínculos e conseguirá trabalhar os seus sentimentos; uma coisa que apareceu muito durante a pandemia foi justamente o trabalho com as emoções. As crianças falaram de suas alegrias, tristezas e usaram diferentes representações para conversar sobre esses temas, às vezes sobre os pais muito cansados em casa, estressados, questões econômicas ou mesmo falecimentos na família. A criança teve no professor esse espaço de escuta e acolhimento, já são desenvolvidos com eles, desde muito pequenos, o autocuidado e o cuidado com o outro.”

Sueli ainda destaca a importância do letramento, ao passo em que as crianças entram em contato com vários gêneros textuais que vão dar suporte para uma alfabetização futura. “É comum as pessoas entenderem a importância da Educação Infantil a partir dos 4 anos por conta da obrigatoriedade, porém a criança aprende muito antes e é capaz de mostrar suas aprendizagens e potencialidades independente do ambiente (presencial ou remoto) em que se encontra.

A pandemia deu oportunidade de enxergar como as crianças, nessa faixa de 2 e 3 anos, utilizaram diferentes linguagens para demonstrar a diversidade de aprendizagens”.

Leia também: App para ajudar na alfabetização de crianças é lançado pelo Ministério da Educação

você pode gostar também
Deixe um comentário