Vikings

Os vikings foram povos que ocuparam o extremo norte do continente europeu durante a Antiguidade e a Alta Idade Média.

0
Quem eram os vikings? Viking é o termo utilizado para se referir aos nórdicos que ocupavam a Península da Escandinávia, extremo norte da Europa que compreende aos atuais países: Dinamarca, Noruega e Suécia. Eles atuaram durante a Antiguidade e a Alta Idade Média.

Essa fase foi marcada por expedições marítimas realizadas pelos vikings nas diversas regiões do continente europeu, visando vários objetivos: relações comerciais, colonização de terras ou roubo.

É importante salientar que os vikings não eram um grupo homogêneo e sim vários clãs e tribos que possuíam línguas e costumes semelhantes.

Também conhecidos como normandos ou nórdicos, eles estão entre as principais referências culturais da Escandinávia.

História

A sociedade viking se organizava em camadas sociais. No topo da hierarquia estavam os grandes latifundiários e na base, os escravos.

Da mesma forma, haviam divisões entre os ricos e pobres, homens e mulheres e livres e não-livres. Eram comandados por um rei que conquistava seu posto por meio de combates para conquistar a coroa.

Por isso era importante ter boas relações e reunir homens leais em volta do candidato a rei.

Além de trabalharem com a terra, eles também navegavam pelos mares do continente europeu e estabeleciam relações comerciais com seus vizinhos.

A boa performance viking no mar se justificava pela experiência desses povos na construção de barcos velozes, capazes de desenvolver uma boa navegabilidade.

Dessa maneira, eles se direcionaram à Rússia, Império Bizantino e América (séculos antes de Colombo).

As mulheres pertencentes ao extrato social mais elevado se enfeitavam com joias e objetos esculpidos, como cascas de tartaruga e ossos de animais.

A arte viking era bastante elaborada. Costumavam desenhar animais e vegetações em seus barcos, assim como em suas armas e capacetes. Além disso, os desenhos representavam o status social do indivíduo.

Religião

Assim como vários povos da época, os vikings cultuavam vários deuses relacionados às manifestações da natureza.

Haviam deuses específicos para cada momento do cotidiano viking. Alguns deles eram:

  • Odin: O pai de todos, senhor da vida e da morte, da magia e da profecia;
  • Frigga/Freya: A esposa de Odin, protetora da família, deusa da fertilidade;
  • Thor: O filho de Odin, o deus do trovão, tinha como símbolo o martelo;
  • Valquírias: Eram deusas encarregadas de guiar os espíritos dos guerreiros mortos ao Valhala.

Guerra

Mesmo tendo se relacionado comercialmente com povos oriundos de várias regiões da Europa, os vikings também levaram terror e violência ao continente.

Castelos e fortalezas foram edificadas, assim como portos se tornaram mais seguros a fim de impedir as invasões vikings. Entretanto, era difícil deter esses povos.

As guerras tinham um significado muito importante dentro da sociedade viking, pois elas possuíam um significado religioso.

Os guerreiros da sociedade viking carregavam consigo um status, pois caso morressem, sua ida para Valhalla (reino dos deuses) seria comemorada. Caso vencessem, sua performance no combate seria celebrada e valorizada.

Utilizavam espadas, machados, arcos e flecha, facas e lanças como armas. A principal arma utilizada para se defender era o escudo de madeira, usado como parede de escudos, principal tática de batalha.

Para eles, o fim do mundo ocorreria por meio de um grande combate.

Veja também:

você pode gostar também