Ártemis – Deusa da Lua e da caça na mitologia grega

Uma dos doze deuses do Olimpo, Ártemis é a deusa da Lua, da caça, dos animais selvagens e da castidade.

0

Na Grécia Antiga, cada aspecto da vida era correspondente a um deus. Por muitas vezes, o mesmo deus representava vários desses aspectos. Além disso, alguns deuses eram complementares às funções de outro.

Um exemplo disso são o deus Apolo e a deusa Ártemis. Eles são irmãos gêmeos e muitas das suas habilidades são semelhantes, mas ele é deus do Sol e ela é deusa da Lua.

Quem é Ártemis

Ártemis é uma das deusas da mitologia grega, uma dos doze deuses principais do Olimpo. Ela é fruto do relacionamento entre Zeus, o deus dos céus, e Leto, deusa do anoitecer. Sendo assim, ela também é irmão gêmea de Apolo, deus do Sol.

Para os gregos, a deusa representava os mesmos ideais de Apolo, também usando o arco e flecha e espalhando pragas e doenças. No entanto, assim como o deus, Ártemis ajudava a curar as doenças e aliviar sofrimento.

Deusa da Lua

O Sol foi atribuído a Apolo, já Ártemis era considerada a deusa da Lua. Além disso, ela era a deusa da caça e dos animais selvagens por ser conhecida como a melhor caçadora do Olimpo.

Ártemis também era a deusa da castidade, pois era uma das deusas intocadas, tendo nunca se casado ou tendo filhos. Por causa disso, os sacerdotes e pessoas fiéis à deusa mantinham um voto de castidade.

História

O relacionamento de Zeus e Leto era uma traição à  Hera, a esposa de Zeus. Por isso, ela decretou que Leto não poderia ter seus filhos em qualquer terra firme. Por isso, Leto foi levada à ilha de Ortígia, onde ela conseguiu dar à luz a Ártemis, que se tornou a parteira para o nascimento de Apolo.

Existe um mito que conta que Ártemis, aos três anos de idade, pediu a Zeus que pudesse ter um arco e flecha, se manter virgem para sempre e ter várias “filhas” para ser suas companheiras. Essas “filhas” ficaram conhecidas como as Caçadoras de Ártemis e eram meninas que faziam um voto de castidade e ganhavam a imortalidade para estar com a deusa.

Uma das histórias mais conhecidas de Ártemis é que narra sua relação com o gigante Órion. Assim, como a deusa, ele também era um caçador e dos dois eram melhores amigos. Os mitos divergem sobre a forma que ele morreu: uns contam que foi por um escorpião enviado por Gaia, a Mãe Terra, e outros que foi pela própria Ártemis, que atirou nele por acidente.

Ela sofreu muito pela morte de seu companheiro e o transformou em uma constelação de estrelas. Outra perda da deusa foi a de sua companheira Calisto, que também era uma das suas caçadoras.

Como caçadora, Calisto havia feito um voto de castidade, mas quebrou a promessa ao se envolver com Zeus. Por isso, ela foi transformada em um urso por Hera ou Ártemis (os relatos divergem entre as duas). Por piedade, Zeus colocou Calisto nos céus, criando a Constelação de Ursa Maior.

Ártemis era muito fiel ao seu voto de castidade e também ao voto das suas caçadoras. Ela não deixava impune os homens que queriam se aproveitar dela e das outras meninas. Sendo assim, existem alguns mitos de como ela golpeou e transformou esses homens.

O mais famoso é o que conta sobre Actéon, um caçador que tentou espiar a deusa nua enquanto tomava banho em uma fonte. Por causa disso, ele foi transformado em um veado e devorado pelo seus próprios cães de caça, que não reconheceram o mestre.

O ponto em comum entre todas essas histórias é que Ártemis não causava brigas, apenas reagia quando algo a afetava. Por isso, ela é considerada uma deusa justa, que sofreu quando deveria e fez justiça quando precisou.

Curiosidades

  • Mesmo não tendo filhos, Ártemis era considerada uma parteira, já que ajudou sua mãe no parto de Apolo;
  • Ártemis era considerada a protetora das meninas até o casamento delas;
  • Os símbolos de Ártemis são o arco e flecha, veados, cães de caça e a Lua;
  • Na mitologia romana, a deusa Diana é equivalente à Ártemis;
  • O Templo de Ártemis em Éfeso é considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

Veja também:

você pode gostar também