Grécia

A Grécia foi o berço da civilização ocidental, com mais de 4 mil anos de acontecimentos.

0

Atualmente, a Grécia é um país localizado no sul da Europa, no cruzamento entre Europa, Ásia e África. A Grécia é independente do Império Otomano desde 1830, mas os primeiros povos gregos começaram a ocupar a região desde 1.500 a.C.

Sendo assim, a civilização grega é uma das mais antigas, sendo considerada o berço da cultura ocidental. Além disso, foi na Grécia que surgiram a democracia, a filosofia ocidental, os Jogos Olímpicos, a literatura ocidental, a historiografia, a ciência política, as artes cênicas ocidentais e importantes princípios científicos e matemáticos.

História da Grécia

Por ser uma das mais antigas civilizações ocidentais, a história da Grécia é bem longa, sendo dividida em nove períodos desde os primeiros povos gregos até a atualidade.

Grécia pré-histórica

A primeira civilização a chegar na Grécia foi a Civilização Minoica no mar Egeu, entre 2.600 e 1.600 a.C. Pouco se sabe sobre os minoanos, somente que a eles possuíam idioma escrito e que a sua cultura era profundamente ligada ao mar. A lenda do rei Minos, rei da ilha de Creta que aprisionou o Minotauro em uma labirinto, remete a esse período.

Essa civilização chegou ao fim por causa de uma invasão dos micênicos, um povo da Grécia continental.

Período Micênico (Idade do Bronze)

A Grécia Micênica ou Grécia da Idade do Bronze é o nome dado a civilização que prevaleceu por volta de 1.600 até 1.100 a.C. As poesias épicas de Homero e a maior parte das lendas da mitologia grega se referem a esse período. Além disso, a forma mais antiga da língua grega também surgiu nesse período por uma mistura da escrita micênica com a minoica. 

A Civilização Micênica era constituída por uma nobreza guerreira que era enterrada com os seus pertences militares, como adagas e armaduras, de acordo com achados arqueológicos. No entanto, essa civilização foi invadida por Dóricos, o que deu início a Idade das Trevas grega.

Idade das Trevas

A Idade das Trevas da Grécia foi um período que durou cerca de 400 anos, entre 1.200 e 800 a.C, iniciado por uma suposta invasão dórica. Nesse período, a população grega diminuiu, a língua grega deixou de ser escrita e a arte cerâmica se tornou mais simples.

Além disso, surgiram os genos, uma organização social semelhante à família. Os genos começaram a reconstruir o passado por meio dos mitos, como a Guerra de Troia e Hércules. A estagnação desse período foi substituída por um período de renascença, com a escrita sendo reintroduzida pelos fenícios e modificada pelos gregos,

Período arcaico

O período arcaico aconteceu entre os anos 800 e 323 a.C., tendo início com os primeiros Jogos Olímpicos. Os historiadores consideram que a cultura que fundamentou a civilização ocidental surgiu nesse período. Também foi durante o período arcaico que a Grécia passou a ser organizada em cidades-estados

As personalidades mais conhecidas da Grécia Antiga viveram durante esse período, como o poeta Homero, os políticos Péricles e Alexandre, o Grande, os filósofos Sócrates, Platão e Aristóteles e o matemático Euclides.

Durante esse período, ocorreram diversas guerras que marcaram o mundo grego antigo, com as principais sendo as Guerras Médicas e a Guerra do Peloponeso. Para finalizar uma das guerras desse período, a cidade-estado de Tebas recorreu ao rei Filipe II da Macedônia, que acabou dominando boa parte da Grécia sob regime do império.

Período arcaico

Após a morte do rei Filipe II, o seu filho, Alexandre, o Grande, governou o império até falecer, em 323 a.C., o que marca o início do período helenístico. Esse período foi marcada pela difusão da civilização grega por todo o império de Alexandre, que se estendia pelo mar Mediterrâneo oriental até a Ásia Central.

Assim, várias cidades de cultura grega foram fundadas fora do território grego atual, como Alexandria e Antioquia no Egito.  Contudo, a República Romana começou a ganhar força, entrando em guerra contra Macedônia por duas vezes, derrotando os macedônios na segunda guerra.

Desse modo, as cidades-estados gregas foram anexadas a Roma em 146 a.C. Contudo, as cidades, exceto Rodes, permaneceram parcialmente independentes, fazendo parte de uma Confederação controlada por Roma.

Período Greco-romano

O período Greco-romano compreende de 146 a.C. até 395 d.C., quando o território grego foi dominado por romanos. Mesmo como parte do Império Romano, os gregos nunca perderam sua cultura, inclusive até influenciaram a cultura romana.

No século I d.C., o cristianismo foi inserido na Grécia e boa parte dos gregos se tornaram cristãos, com várias cidades gregas sendo mencionadas na Bíblia. Esse período acaba com a separação do Império Romano entre Ocidente e do Oriente, que mais tarde iria ser conhecido Império Bizantino.

Período bizantino

A capital do Império Romano do Oriente, onde a Grécia estava localizada, era Constantinopla, uma cidade influenciada fortemente pela cultura grega durante o período helenístico. Assim, a cidade era um ponto de referência para os gregos. Desse modo, o que é conhecido hoje como Império Bizantino era chamado de Império Grego ou Império Romeo-Grego pelo povo da época.

Esse período chegou ao fim com o enfraquecimento do Império Bizantino e a invasão dos otomanos, em 1453.

Período otomano

Com a dominação do Império Otomano, a camada intelectual grega migrou para a Europa Ocidental, influenciando no Renascimento, e outra parte dos gregos migraram para as montanhas da Grécia continental, uma barreira natural contra a presença dos otomanos.

Durante esse período, a Igreja Ortodoxa Grega foi o que auxiliou os gregos a preservarem a herança étnica, cultural, linguística e racial. Isso aconteceu porque o Império Otomano tinha como religião o islamismo sunita, o que obrigou diversos gregos a adotarem a fé muçulmana, mesmo que para encobrir a prática da fé ortodoxa em segredo.

O fim da dominação do Império Otomano na Grécia aconteceu em 1821, quando os gregos declaram sua independência. No entanto, a independência grega só foi reconhecida em 1832, após ganhar a Guerra de Independência da Grécia contra os otomanos.

Período moderno

Durante o restante do século XIX e o começo do século XX, a Grécia entrou em uma série de guerras com o Império Otomano para ampliar seu território para incluir toda a população étnica grega. A configuração atual da Grécia foi alcançada apenas em 1947.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a Grécia aliou-se a Tríplice Entente, composta por países que ajudaram na Guerra de Independência, para lutar contra o Império Otomano. Já na Segunda Guerra Mundial, a Grécia conseguiu vencer contra a Itália, mas foi atacada e dominada por nazistas. Em seguida, também aconteceu a Guerra Civil Grega, que acabou em 1949.

Atualmente, a Grécia é uma república parlamentar democrática que faz parte de diversos tratados internacionais, incluindo a União Europeia (UE), como parte da zona do euro.

Curiosidades

  • A Grécia continental consiste na extremidade sul da península dos Bálcãs e na península Peloponeso;
  • Além disso, mais de 999 ilhas e ilhéus formam a Grécia, como as ilhas de Creta e Eubeia;
  • Diversas palavras da língua portuguesa tem origem no grego, como a palavra “escola” que vem do grego antigo para “tempo livre”;
  • Na Grécia Antiga, a palavra “idiota” se reveria a qualquer pessoa que não fosse política;
  • A primeira teoria de que os planetas giram em torno do Sol foi feita no século 3 a.C. pelo astrônomo e matemático grego Aristarco de Samos;
  • As Olimpíadas foram inventadas pelos gregos como uma homenagem aos deuses;
  • A montanha mais alta da Grécia é o monte Olimpo, onde os deuses moravam, de acordo com a mitologia grega;
  • Uma das influências da cultura grega em Roma foram os deuses, que passaram por adaptações e conseguiram espaço também na cultura romana até o surgimento do cristianismo.
você pode gostar também