A reprodução das plantas: como isso acontece?

Saiba mais sobre os tipos de reprodução sexuada e assexuada das plantem e como elas ocorrem, além da importância dos processos de polinização e fertilização

0

A reprodução é etapa necessária para o cumprimento do ciclo da vida, onde os seres nascem, crescem, se reproduzem e morrem. As plantas, da mesma forma, precisam se reproduzir para que novos brotos consigam nascer e a quantidade de plantas sejam multiplicadas na natureza.

Entretanto, além de as plantas possuírem mais de uma forma de se reproduzirem, são dependentes de ajuda externa para cumprir esse estágio da vida.

Para a reprodução acontecer, duas fases são essenciais, independente do tipo de reprodução: polinização e a fertilização, respectivamente. Esses dois estágios são distintos, porém complementares.

Tipos de reprodução

Diferente dos seres humanos, as plantas são dotadas com a capacidade de se reproduzir sexuada e assexuadamente, realizando a propagação vegetativa.

Reprodução Assexuada

As plantas consistem em organismos multicelulares. Ou seja, apesar de terem uma estrutura simples, são constituídas por mais do que uma célula.

Por isso, sua reprodução ocorre por propagação vegetativa, o que significa que pequenas partes da planta são capazes de dar origem, por meio do processo da mitose , um tipo de divisão celular.

Atualmente, o ser humano aproveita essa característica de reprodução assexuada das plantas a seu favor, ao realizar a propagação vegetativa artificial. Para isso, existem três técnicas mais utilizadas: a estaquia, a enxertia e a alporquia.

A estaquia, muito utilizada na agricultura, é realizada a partir da retirada de partes do vegetal que contenham gemas e a introdução dessas partes em solo úmido.

Já a enxertia consiste em uma das técnicas mais utilizadas quando a intenção é propagar espécies arbóreas e arbustivas. É a mais complexa das três e, em suma, é feita por meio da implantação de uma parte viva de uma planta que já esteja enraizada.

Por fim, a alporquia se resume em induzir o enraizamento de uma parte da planta para que ela consiga se propagar sem romper sua ligação com a “planta-mãe”.

Reprodução Sexuada

Esse tipo de reprodução ocorre em plantas que, assim como os seres humanos, possuem os órgãos sexuais feminino e masculino, sendo o primeiro o gineceu, e o segundo, o androceu.

O androceu é composto por estames – que são feitos por um filamento de antera – que contém um “saco” de pólen na ponta. Dentro desse saco estão localizados os gametas masculinos. Já o gineceu é composto por um ou mais pistilos.

Esses pistilos contém parpelos e óvulos, que é onde se localiza os gametas femininos. Além disso, os pistilos são divididos em três partes: os estigmas, o estilo e os filamentos. Os estigmas são responsáveis por receber os grãos de pólen depositados pelos agentes externos.

Para a reprodução sexuada acontecer, grãos de pólen passam pelas três partes dos pistilos até chegarem ao óvulo. Assim, acontece a fecundação, onde o ovário se desenvolverá até se tornar um fruto, e o óvulo em sementes.

Estrutura da flor

Polinização

Polinização é o processo pelo qual os grãos de pólen, contendo os gametas masculinos são transferidos para os óvulos, tendo os gametas femininos para a união sexual.

Os agente responsáveis por possibilitar a polinização são os insetos (que realizam a entomofilia), as aves (pela ornitofilia) e os morcegos (com a quiropterofilia).

Depois que as plantas crescem e os frutos nascem, os animais os comem e costumam deixar as sementes no chão. Assim, quando elas caem em um solo fértil, com o tempo geram uma nova planta.

Fertilização

É chamado de fertilização o momento em que o pólen se funde à célula sexual feminina chamada de oosfera, que se localiza dentro do ovário, no útero

Veja também: Como as plantas podem se reproduzir?

você pode gostar também