Com adoção de todas medidas protetivas, transmissão de COVID-19 nas escolas é rara, afirma pesquisa

Cuidados são os mesmos recomendados pela Organização Mundial de Saúde.

0

De acordo com uma recente pesquisa norte-americana, caso as medidas de proteção sejam rigorosamente seguidas, a transmissão da Covid-19 nas escolas acaba sendo mínima. As ações adotadas são as recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), sendo elas o distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos.

O estudo é fruto da colaboração entre os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos e diversas unidades do país. As descobertas apontam que as iniciativas para a prevenção de contágio do novo coronavírus podem amenizar significativamente a disseminação do vírus entre alunos, professores e colaboradores.

Método

O levantamento contou com a participação de 57 escolas. Na ocasião, alunos, professores, colaboradores e visitantes tiveram que fazer o uso de máscaras nas instituições e transportes escolares. Além dessa medida, tiveram que adotar outras práticas de segurança:

  • Higienização das mãos;
  • Distanciamento físico nas salas de aula;
  • Instalação de barreiras físicas entre docentes e estudantes;
  • Limpeza dos ambientes;
  • Aumento da ventilação;
  • Exames diários de sintomas para o novo coronavírus;
  • Oferta de opções de aprendizagem virtual.

Ao longo de 14 dias, as escolas incluídas no projeto notificaram a equipe de pesquisa de alunos, professores e colaboradores que testaram positivo para a Covid-19 ou que tiveram que fazer a quarentena por residir com alguém que tenha sido infectado.

Foram 193 participantes e 156 de contatos próximos. Entre os participantes, 37 testaram positivo – 24 (65%) estudantes e 13 (35%) professores ou colaboradores. Já nos contatos próximos, entre aqueles que concordaram de fazer o teste para Covid-19, somente dois tiveram resultados positivos.

E mesmo com as altas taxas de disseminação registradas pela comunidade em dezembro, nenhum surto foi registrado nas escolas participantes. Ainda, desde meados de janeiro, os cientistas têm se debruçado para avaliar melhor as ferramentas de prevenção e políticas de quarentena.

Veja também: Professores devem ter prioridade na vacinação contra Covid-19, afirma especialista

você pode gostar também
Deixe um comentário