Conheça Chica da Silva

Chica da Silva foi uma ex-escrava negra que enriqueceu durante o Brasil Colônia.

0

Francisca da Silva de Oliveira, mais conhecida pelo apelido Chica da Silva, foi uma escrava, posteriormente alforriada, que viveu no interior de Minas Gerais durante o século XVIII. Ela manteve por mais de quinze anos um relacionamento com um rico contratador de diamantes. Por isso, Chica da Silva conseguiu atingir uma posição de destaque na sociedade, mesmo sendo ex-escrava.

Origem de Chica da Silva

Chica da Silva era filha de Antônio Caetano de Sá, homem branco português que era capitão de ordenanças em três distritos de Vila Real. Já sua mãe, Maria da Costa, era uma africana escravizada, com o sobrenome “da Costa” fazendo referência ao seu lugar de origem na África, a Costa da Mina. Assim, o pai de Chica era um homem de importância na sociedade, enquanto a sua mãe era uma escrava.

Não se sabe ao certo em que ano Chica da Silva nasceu, mas estima-se que foi entre 1731 e 1735, no Arraial do Milho Verde, atual cidade de Serro, no interior de Minas Gerais. Como filha de escrava, Chica também foi escravizada, já que seu pai não a concedeu a alforria.

Durante a juventude, Chica foi vendida ao médico português Manuel Pires de Sardinha, que residia no Arraial do Tijuco, atual cidade de Diamantina. Como os abusos sexuais cometidos por portugueses contra suas escravas eram comuns, o primeiro filho de Chica, chamado Simão Pires Sardinha, era filho do médico, porém não registrado dessa maneira.

Enriquecimento de Chica da Silva

Em 1754, Chica foi comprada pelo contratador de diamantes da cidade de Diamantina, João Fernandes de Oliveira. Dois meses depois de ter sido comprada, Chica foi alforriada, ou seja, libertada da escravidão.

Então, João e ela assumiram uma relação pública. Assim, o nome da Chica da Silva foi identificado com “Francisca da Silva de Oliveira” no registro de batismo de primeira filha do casal, com a adição do sobrenome de João, mesmo sem um casamento oficial.

Por estar em um relacionamento amoroso com um dos homens mais ricos de toda a colônia, Chica da Silva passou a desfrutar de prestígio que a riqueza proporcionava para o casal. Assim, Chica passou a se inserir nos círculos sociais e a possuir muitas casas e escravos. Ela também se dedicou a irmandades religiosos, algo de extrema importância para as mulheres da época.

Durante o relacionamento, o casal teve treze filhos, sendo quatro homens e nove mulheres. Chica se dedicou a dar uma excelente educação aos seus filhos. Os quatro filhos foram educados em Portugal, enquanto as filhas foram educadas nos melhores conventos da região de Diamantina.

O relacionamento amoroso de Chica da Silva e João Fernandes foi estável até 1770, quando ele teve que voltar para Portugal. Assim, João partiu levando os quatro filhos homens e deixando Chica com a posse das propriedades.

Morte de Chica da Silva

Chica da Silva faleceu em 15 de fevereiro de 1796, com cerca de 64 anos. As causas de sua morte são desconhecidas. Ela foi enterrada em uma tumba na Igreja de São Francisco de Assis, onde apenas pessoas brancas ricas eram enterradas.

Mitos sobre Chica da Silva

No século XIX, o advogado Joaquim Felício dos Santos escreveu um livro chamado “Memórias do Distrito Diamantino” apenas com histórias contadas oralmente, sem embasamento em pesquisa. Nessa obra, Chica da Silva é descrita como uma mulher lasciva, cruel e que gostava de ostentar sua riqueza.

Assim, a imagem transmitida de Chica da Silva foi de uma mulher luxuriosa, que utilizava o sexo como meio para conquistar uma vida melhor. No entanto, historiadores apontam que essa visão é parte do construção social do brasileiro que tende a sexualizar ao extremo a mulher negra.

Pesquisas mais recentes sobre Chica da Silva chegaram a conclusão de que ela foi uma mulher convencional do seu tempo. Desse modo, ela se dedicou a dar uma boa educação aos filhos e a participar da vida social da época, sendo ligada principalmente à religião.

Contudo, essa inserção de Chica no meio social não se deu porque a sociedade era racialmente diversa, mas por meio da riqueza. Além disso, os filhos mestiços de Chica não tiveram padrinhos influentes e passaram por dificuldades em suas vidas pessoas por terem uma mãe negra e ex-escrava.

Portanto, a riqueza de Chica garantia privilégios que a maior parte dos negros não possuíam, mas ela ainda sofria de racismo e preconceito.

Curiosidades

  • Chica pertencia a quatro irmandades religiosas: as Irmandades de São Francisco e do Carmo, exclusivas de brancos; a das Mercês, de mulatos, e a do Rosário, de negros;
  • A novela “Xica da Silva”, exibida entre 1996 e 1997 na TV Manchete, foi baseada nos mitos com tendências eróticas sobre Chica da Silva, que foi interpretada pela atriz Taís Araújo;
  • O mesmo foi feito em um filme de 1976 com o mesmo título;
  • Os restos mortais de Chica foram exumados em 2015, para realização de um documentário chamado “A Rainha das Américas”.

Veja também: 

você pode gostar também