O que aconteceu com os escravos após a abolição?

A "libertação" que é refletida até hoje. Saiba como os negros passaram a viver após a assinatura da Lei Áurea

0

O Brasil foi o último país a acabar com o sistema escravocrata. Depois de 400 anos de escravidão, o dia 13 de maio de 1888 se tornou símbolo da libertação dos escravos no país.

Essa data ficou marcada por ser o dia em que a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, após um longa luta dos negros pela liberdade. No entanto, há questões que nem sempre são colocadas nos livros de história.

Afinal, você já parou para se perguntar o que aconteceu com os escravos após a abolição? 

O Pós-Abolição

A liberdade não assegurou o direito a cidadania aos ex-escravos. Ao contrário. A abolição não garantiu nenhuma forma de os incluir na sociedade. O que os fez ficarem perdidos, sem terras e buscarem subempregos para conseguir viver.

Dessa forma, sem um lugar, aqueles que optaram por permanecer nas fazendas que já trabalhavam, se submetiam a trabalhos inóspitos para ter, pelo menos, alguma forma de sobrevivência.

Os que migraram para a cidade não viveram uma realidade muito distante. Com a grande falta de opção, o que sobrava era servir a outros senhores, ou partir para o trabalho informal.

Imagem Pós-Abolição
Imagem Pós-Abolição

O período Pós-Abolição ficou marcado por uma discriminação já começada na lei. O sistema prisional  foi redefinido após a libertação. Dessa forma, os ex-escravos tinham um tratamento diferente.

A cor da pele já era autopunitiva e carregava as marcas de séculos de submissão e tortura. Os ex-escravos passaram a ser vistos como possíveis criminosos. Fato que aumentava ainda mais o estigma em cima deles.

Para a sociedade da época, a maioria dos crimes eram ligados aos negros. A associação da origem social com as criminalidades cresceu significativamente naquele tempo (e é refletido até os dias atuais).

Isso foi criando demarcações simbólicas, em que os negros vivam em subúrbios e aglomerados. Enquanto isso, o resto da sociedade desfrutava dos mais diversos privilégios.

Reflexos da abolição no século XXI

Apesar de todo o tempo que se passou, a sociedade atual ainda reflete o período escravocrata. A herança racista atravessou as décadas e ainda está enraizada no século XXI.

Mesmo que, na maioria da vezes, o racismo seja exposto  de uma forma mais velada, os negros ainda são vistos de um modo diferente. A discriminação é um problema social e cultural,  passada de geração em geração.

Portanto, mesmo 130 anos após a abolição , os reflexos da escravidão  são sentidos até hoje e somente uma reeducação da sociedade e políticas públicas de inclusão são capazes de tentar mudar esse fato daqui para frente.

você pode gostar também