Quem foi Tarsila do Amaral?

Tarsila do Amaral foi uma artista modernista. Suas obras buscavam ilustrar elementos brasileiros, além de conter denúncias sociais.

0

Tarsila do Amaral (1886-1973) foi pintora e desenhista. Uma de suas obras mais famosas foi “Abaporu”, pintado em 1928. Em parceria com os escritores Oswald de Andrade e Raul Bopp, ela lançou o movimento mais radical do período Modernista, o “Antropofágico”.

Sua carreira artística iniciou em 1916, no ateliê do escultor sueco Willian Zadig, em São Paulo. No ano de 1920, ela mudou-se para Paris, onde estudou na Academia Julian, escola de pintura e escultura.

Até que em 1922, Tarsila teve uma tela admitida no Salão Oficial dos Artistas Franceses e no mesmo ano, regressou para o Brasil.

Modernismo

O Modernismo no Brasil iniciou-se em 1922, com a Semana da Arte Moderna. No evento, artistas de várias áreas apresentaram as tendências que estavam em alta. No período, houve uma quebra dos paradigmas tradicionais, tanto na arte, quanto na sociedade brasileira.

No movimento, os artistas buscavam explorar a identidade brasileira, o que estava presente nas obras de Tarsila do Amaral.

Abaporu (1928)
Abaporu (1928)

Durante a fase antropofágica, a pintora ainda utilizou de cores que sobressaíam os elementos oníricos, com grande influência surrealista. Na época, Abaporu (1928) foi a principal obra.

Obras de Tarsila 

Tarsila do Amaral pintou Abaporu em 1928, para presentear o seu marido. Segundo a artista, a obra é descrita com imagens de seu subconsciente, originada de histórias que ela ouvia quando criança.

Operários (1933)

Já em 1933, a artista pintou a tela Operários, que iniciou uma nova fase de sua carreira, a social, que durou aproximadamente quatro anos.

Na época, os operários brasileiros não tinham direitos trabalhistas e ainda completavam a carga horária de 15 horas diárias. Além disso, os homens e mulheres eram mais explorados.

Outras obras de Tarsila do Amaral foram:

  • O ovo (1928);
  • Floresta (1929);
  • Sol potente (1929);
  • Operários (1933);
  • Costureiras (1936-1950).

Veja também:

você pode gostar também
Deixe um comentário