Folclore brasileiro

O Folclore brasileiro é o conjunto de manifestações culturais que contribuem para a formação da identidade nacional.

0

O folclore brasileiro é o conjunto de manifestações culturais que auxiliam na formação da cultura popular brasileira.

Por caracterizar a identidade nacional, o folclore é bastante diversificado, pois envolve aspectos da cultura indígena, africana e portuguesa.

Ele reproduz os costumes e tradições de um povo que são passados de geração a geração. Assim, tudo o que envolve a cultura popular e que se mantém no cotidiano desse povo, integram o folclore.

Alguns exemplos de manifestações folclóricas são as lendas, festas populares, brincadeiras, danças, mitos, canções, comidas típicas e demais costumes que fazem parte da vida popular.

Vale ressaltar que o folclore é considerado Patrimônio Cultural Imaterial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), por ser parte integrante da cultura nacional, por isso é importante preservá-lo.

Como surgiu o folclore?

O folclore surgiu como uma área de estudo, a partir do século XVIII. No entanto, ele só foi se consolidar no final do século XIX, quando pesquisadores europeus e estadunidenses se voltaram para essa área.

Os especialistas apontam que os precursores do estudo do folclore foram os alemães Johann Gottfried von Herder e os irmãos Grimm.

Em 1878, fundou-se a Sociedade do Folclore (Folklore Society), voltada para o estudo do folclore. Ela estabeleceu que os seguintes quesitos estariam dentro do folclore:

  • Costumes tradicionais
  • Linguagem popular
  • Narrativas tradicionais
  • Crenças e superstições

Através desta sociedade, o interesse pelo assunto se difundiu até alcançar países localizados em outros continentes, como os Estados Unidos e o Brasil.

No Brasil, os principais nomes que estudaram essa temática foram Mário de Andrade, Luís Câmara Cascudo e Florestan Fernandes.

Em 1940, a UNESCO orientou para a preservação e estudo do folclore brasileiro, o que impactou a cultura do país. Assim, em 1947 foi criada a Comissão Nacional de Folclore.

O primeiro congresso brasileiro sobre folclore ocorreu em 1951, na cidade do Rio de Janeiro. Nele, foram discutidas várias questões acerca do tema, sendo o mais importante a discussão sobre a definição do que é folclore.

Em 1958 foi criada a Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro (CDFB), com o intuito de proteger o acervo do folclore do país.

Os anos de 1960 foram marcados pela criação da Revista do Folclore Brasileiro, uma ferramenta que divulgou pesquisas sobre a temática.

A partir da ditadura militar no Brasil os estudos sobre folclore sofreram uma retração, pois foram interrompidos pelo regime.

A década de 1990, comportou o VIII Congresso Brasileiro de Folclore, na cidade de Salvador, com o objetivo de atualizar os estudos sobre o assunto.

A partir de então, ficou decidido que folclore é o conjunto de produções culturais de uma comunidade, com suas tradições coletivas e individuais que contribuem para a formação da sua identidade.

Além disso, a Constituição de 1988 determinou a preservação do folclore.

Quem faz parte do folclore brasileiro?

Além dos personagens folclóricos, toda a sociedade faz parte do folclore brasileiro.

É por meio do indivíduo e de suas tradições e costumes que o folclore é passado de geração a geração, contribuindo para a preservação da identidade nacional.

Quais são as lendas do folclore brasileiro?

Vejamos algumas lendas do folclore brasileiro:

Quais são os personagens do folclore brasileiro?

Alguns dos personagens do folclore brasileiro são:

  • Saci-Pererê
  • Iara
  • Boto
  • Curupira
  • Caipora
  • Mula Sem Cabeça
  • Boitatá
  • Cuca
  • Negrinho do Pastoreio
  • Vitória-Régia

Quem inventou as lendas brasileiras?

As lendas folclóricas brasileiras têm suas origens na mitologia indígena, africana e portuguesa.

A mistura das diferentes culturas permitiu a criação de mitos únicos. No entanto, é possível identificar elementos comuns com lendas de outros povos.

Saiba mais em: Curupira para colorir

você pode gostar também