Governo Fernando Henrique Cardoso

O governo de Fernando Henrique Cardoso se caracterizou por uma política neoliberal e pela consolidação do Plano Real.

0

Fernando Henrique Cardoso foi o 34° presidente do Brasil. Seu governo envolveu dois mandatos. O primeiro compreendeu os anos de 1995 a 1998, já o segundo foi de 1999 a 2002.

O governo de Fernando Henrique Cardoso foi marcado pela implantação do neoliberalismo no Brasil. Ao privatizar as estatais, ele tirou a responsabilidade do Estado em controlar determinadas empresas.

Além disso, FHC promoveu reformas constitucionais e consolidou o Plano Real.

Biografia

Fernando Henrique Cardoso nasceu em 18 de junho de 1931, no Rio de Janeiro. Mudou-se com a família para São Paulo ainda na infância. É oriundo de uma família tradicional, formada por políticos e militares do período do Brasil Império.

Seu bisavô, Felicíssimo do Espírito Santo ocupou diversos postos políticos, inclusive o de vice-presidente da província de Goiás.

Se formou em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), em 1952. No ano seguinte, se casou com Ruth Cardoso e juntos tiveram três filhos.

Ainda em 1953 ocupou o cargo de analista de ensino da cadeira de Sociologia da Faculdade de Filosofia da USP.

Entre os anos de 1952 e 1953, foi professor de Economia na mesma instituição e em 1954, foi eleito representante dos alunos egressos e passa a ser a pessoa mais jovem a integrar o Conselho Universitário da USP.

Em 1961 conquista o título de doutor em Ciências Sociais com um trabalho voltado para o tema da escravidão e capitalismo.

Após o golpe de 1964, ele se exila no Chile, acusado de subversão. Neste país, ele exerceu funções no Instituto Latino Americano e Planejamento Econômico Social e na Comissão Econômica para a América Latina.

Foi professor na Universidade do Chile e na Faculdade Latino Americana de Ciências Sociais (Flacso).

Em 1967, se muda para França, para lecionar na Universidade de Paris-Nanterre. Ao retornar ao país em 1968, Fernando Henrique volta a ocupar a cátedra de Ciência Política da USP.

Com o decreto do AI-5, ele é obrigado a se aposentar como professor da USP, com 37 anos de idade.

Depois de sua aposentadoria compulsória, ele segue dando aulas em várias universidades de outros países.

Além disso, FHC fundou o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), voltado para a resistência intelectual ao regime ditatorial.

Em 1974, contribuiu para a elaboração da plataforma eleitoral do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Em 1978, concorreu às eleições para senador pelo estado de São Paulo, mas é derrotado. Ele passa a ser o suplente de Franco Montoro.

Governo FHC

Fernando Henrique Cardoso se torna presidente do Brasil em 1995, pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

A promessa de sua campanha era reduzir os gastos públicos, assim como o tamanho do Estado, além de garantir a estabilidade do real.

Ele foi responsável por acelerar o processo de privatização das empresas estatais, ao aprovar no Congresso modificações na Constituição, entre as quais estavam a quebra do monopólio estatal das telecomunicações e do petróleo.

De acordo com dados oficiais, durante os governos de Collor, Itamar e FHC (1991-2002), os cofres públicos arrecadaram cerca de 30 bilhões de dólares com a venda de estatais.

O governo FHC permitiu a venda de várias empresas estatais, fato que movimentou o debate sobre privatização na época.

Em 1997, ele aprovou no Congresso uma emenda constitucional que autorizava a reeleição do presidente, governadores e prefeitos.

Assim, em 1998 Fernando Henrique é reeleito com 55% dos votos válidos, conquistando a reeleição.

Em seu segundo mandato ele continuou adotando práticas neoliberais, com privatizações e altos juros, visando atrair investimentos estrangeiros.

O aumento dos juros, levaram as empresas a demitirem seus funcionários, com isso, o número de desempregados aumentou expressivamente.

A insatisfação da população brasileira aumentou junto com a oposição ao governo nas ruas e no Congresso.

Plano Real

Antes de ser presidente, Fernando Henrique Cardoso foi Ministro da Fazenda, entre os anos de 1993 e 1994.

O objetivo desta pasta era controlar a inflação e organizar a economia. Junto com alguns economistas, criou um plano gradual de estabilização.

Em julho de 1994 é criada uma nova moeda, o Real. Sua adoção resultou em baixíssimo níveis na inflação.

O seu desempenho como ministro da Fazenda o tornou como o principal candidato às eleições presidenciais.

Utilizando o Plano Real como a base de sua campanha, Fernando Henrique venceu as eleições de 1994 e assumiu a presidência do Brasil em janeiro de 1995.

Fim do governo FHC

O fim do governo FHC ocorreu em 2002, quando ele cumpre o seu segundo mandato e passa a faixa presidencial para Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Saiba mais em:

você pode gostar também