Hemácias

Com coloração avermelhada, corpo arredondado e grande flexibilidade, são os maiores responsáveis pelo transporte de gases do corpo humano.

0

Também chamadas de eritrócitos, as hemácias são pigmentadas com a hemoglobina, que as faz adquirir uma cor avermelhada. A hemoglobina é uma proteína divida em quatro unidades, que possuem uma porção proteica ligada a uma de ferro, e são responsáveis pelo transporte de gases no organismo.

As hemácias não possuem núcleo (na verdade, o perdem de acordo com que se desenvolvem), nem material genético. Assim, não conseguem se renovar, e dependem do corpo para realizar novamente todo o processo produtivo para a fabricação de novas hemácias.

O formato das hemácias é arredondado, como um disco bicôncavo, e conta com 7,5 µm de diâmetro, 2,6 µm e 0,8 µm de espessura na região periférica e na região central, respectivamente. Essa forma arredondada é formada por meio de proteínas estruturais no citoesqueleto. Sua flexibilidade e sua superfície de contato arredondada facilitam a troca de gases realizada pelo corpo.

Produção e destruição dos eritrócitos

As hemácias são fabricadas na medula óssea vermelha e são formadas através de um processo chamado eritropoiese, que é iniciado por meio de uma célula-mãe, responsável por gerar quatro células. Essas quatro células realizam a síntese do DNA e de hemoglobina, além da mitose e da absorção de ferro.

Quando criadas, são chamadas reticulócitos, e consistem em células ainda imaturas, mas que compõem até 2,5% das hemácias presentes no organismo já adulto. Quando um corpo apresenta um número exagerado de reticulócitos, significa que essas células estão morrendo de forma mais rápida do que deveriam (como em uma hemorragia ou outra doença), e o organismo está tentando compensar essa perda.

Ao mesmo tempo, possuir quantidades mínimas de reticulócitos pode significar dificuldade do corpo em produzir as hemácias. Ao decorrer de seu desenvolvimento, as hemácias perdem a capacidade de renovar suas moléculas. Isso acontece porque seu núcleo e suas organelas desaparecem gradualmente.

A destruição das hemácias em um organismo saudável ocorre no fígado ou no baço, cerca de 120 dias após sua produção. Isso ocorre por meio dos macrófagos, que digerem essas células.

Quando a hemoglobina é quebrada, ela disponibiliza aminoácidos e porções de ferro que posteriormente são utilizados no processo produtivo de novas hemácias.

Qual a função das hemácias

  • Transporte de oxigênio captado do sistema respiratório e levado às demais células do corpo (a hemoglobina que é ligada ao oxigênio é chamada de oxiemoglobina);
  • Transporte do gás carbônico produzido pelas células ao pulmão, em prol de eliminá-los (a hemoglobina ligada ao gás carbônico é denominada carboemoglobina).

Doenças

Várias doenças podem ser em decorrência do comportamento das hemácias no corpo; qualquer irregularidade pode desestruturar o funcionamento de várias de suas áreas.

Por exemplo, a diminuição de tamanho dos eritrócitos (acontecimento denominado microcitose), geralmente é consequência de deficiência de ferro no organismo, além de possíveis anemias sideroblásticas e talassemias. Já quando essas hemácias têm seu tamanho aumentado acima da normalidade (macrocitose), pode estar relacionado com deficiência de vitamina B12 ou doenças hepáticas.

A anemia é a doença mais comum causada pelo comportamento das hemácias, que ocorre quando há pouca quantidade de hemácias no sangue. Isso faz com que o transporte de oxigênio pelo corpo fique comprometido. Existem diversos tipos de anemias, dentre elas: a falciforme, hemolítica, perniciosa, entre outros.

Curiosidades

  • As células sanguíneas mais numerosas no corpo humano são as hemácias.
  • Em cada decilitro de sangue, existem aproximadamente 4 ou 5 milhões de hemácias.
  • Junto ao plasma, alguns elementos celulares e água, as hemácias integram os quatro ingredientes que compõem o sangue.

Veja também: 

Produção de células sanguíneas: como acontece?

você pode gostar também