O que é autismo

O transtorno do espectro do autismo (TEA) é um transtorno neurológico caracterizado por dificuldades de interação social e no comportamento.

0
O autismo é o nome popular para o transtorno do espectro do autismo (TEA), um transtorno neurológico caracterizado por déficit na interação social (socialização e comunicação) e no comportamento (interesses limitados e movimentos repetitivos). Existem diversos subtipos de transtorno dentro do espectro autista.

Em alguns casos, os sinais iniciais de autismo aparecem nos primeiros meses de vida, mas, no geral, o transtorno pode ser identificado entre 1 ano e meio e 3 anos de idade. Ao contrário do que muitos pensam, autistas possuem um desenvolvimento físico normal. Dessa forma, os sinais podem ser percebidos apenas na dificuldade da criança nas relações sociais.

Causas do autismo

As causas do autismo ainda não são totalmente conhecidas, mas os estudos apontam, principalmente, para fatores genéticos. Além disso, percebe-se uma associação de genética e fatores ambientais, como  ingestão de alguns produtos durante a gravidez, como outra possível causa do autismo.

Sinais do autismo

Como o autismo pode ser identificado no início da infância, os pais que são responsáveis por notar os sinais do autismo. Alguns desses sinais são:

  • Não manter contato visual por mais de dois segundos;
  • Preferir ficar isolado ou não interagir com outras crianças;
  • Não atender quando é chamado pelo nome;
  • Alinhar objetos;
  • Não brincar com brinquedos de forma convencional;
  • Fazer movimentos repetitivos ou girar objetos sem razão aparente;
  • Não imitar e brincar de faz-de-conta;
  • Ser preso a rotinas a ponto de entrar em crise;
  • Não compartilhar seus interesses;
  • Repetir frases ou palavras sem função em momentos inadequados;
  • Interesse restrito ou hiperfoco;
  • Não falar ou fazer gestos para mostrar algo;
  • Apatia;
  • Inquietação exacerbada;
  • Agressividade.

Caso alguns sinais sejam notados na criança, é importante buscar um neuropediatra ou psiquiatra infantil para confirmação de diagnóstico do transtorno.

Características do autismo

Uma das principais características do autismo é o déficit social, em que a criança apresenta dificuldade em se relacionar com outras pessoas. Por vezes, o autista pode não compreender o grau de importância que as pessoas dão a algo.

Outra característica do autismo que se destaca é a dificuldade de comunicação, que atinge cerca de um terço dos autistas. Em alguns casos, a criança demora para iniciar com balbucios, faz gestos incomuns, não responde perguntas e não compreende a linguagem figurada. Além dessas questões, também existe a dificuldade em fazer pedidos, compartilhar experiências e demonstrar interesse.

Pessoas autistas também apresentam comportamentos restritivos ou repetitivos. Esses comportamentos consistem em focar em somente uma atividade, fazer movimentos repetitivos, organizar objetos em pilhas ou linhas e ter rituais para atividades simples.

Além disso, em algumas casos mais raros, pessoas com autismo podem apresentar habilidades extraordinárias, como uma memória incomum. Em outras situações, autistas também podem apresentar preferências alimentares específicas, déficit de coordenação motora e anormalidades sensoriais.

Tipos de autismo

Como o autismo engloba vários comportamentos, existem alguns tipos de transtornos dentro do espectro autista. Os principais são:

  1. Autismo de alto desempenho (antiga Síndrome de Asperger): forma mais branda de autismo. Pessoas com esse tipo de autismo são inteligentes e não possuem dificuldades em se comunicar, mas apresentem déficit social;
  2.  Autismo clássico: grau pode variar, mas, geralmente, apresentam todas ou quase todas as características do autismo;
  3. Distúrbio global do desenvolvimento sem outra especificação: indivíduos que apresentam poucas características do autismo e que não se encaixam nos outros tipos.

Tratamento para autismo

Não existe uma forma de cura para o transtorno do espectro autista, assim como também não existe um padrão para o tratamento. Cada paciente exige um tratamento específico, podendo ser acompanhado por médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos e pedagogos.

Remédios são utilizados somente quando a criança apresenta agressividade ou possui outros transtornos paralelos, como depressão.

Quanto mais cedo o autismo é diagnosticado e tratado, maiores são as chances de melhora nos sinais do autismo.

Veja também:

você pode gostar também