O que foi o Holocausto?

Holocausto é o nome dado ao extermínio praticado contra milhares de pessoas - principalmente os judeus - durante a Segunda Guerra Mundial.

0

Holocausto é a palavra usada para se referir ao genocídio praticado contra milhares de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945).

O principal grupo atingido foram os judeus, no entanto, os ciganos, testemunhas de jeová, negros, homossexuais, opositores políticos e outros grupos considerados inferiores aos alemães, foram exterminados em campos de concentração e extermínio.

O que foi o Holocausto?

Holocausto foi o extermínio de milhares de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial. No entanto, os judeus foram os principais atingidos.

O antissemitismo era um dos elementos presentes no programa do partido liderado por Adolf Hitler. Esse documento defendia que nenhum judeu deveria julgar-se pertencente ao povo alemão.

Partiam do pressuposto que os alemães eram superiores aos demais povos e que os judeus eram os culpados por todos os males que aconteciam no mundo.

Por isso, eles atribuíam a derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, principalmente, aos judeus.

Os nazistas chegaram ao poder em 1933, e junto com eles, a violência e a exclusão contra o povo judeu. Nesse sentido, o antissemitismo ganhou força e passou a ser pregado entre a sociedade.

Uma das primeiras ações praticadas pelos nazistas foi proibir os judeus de ocuparem cargos públicos, por meio da aprovação de uma lei.

Como consequência, os judeus passaram a ser intensamente perseguidos. Muitos deles fugiram do país.

Os que não conseguiam fugir, se instalavam nos guetos, criados para a população judaica que deviam trabalhar de maneira forçada. Tal realidade fazia com que eles vivessem em condições precárias.

Assim, durante a Segunda Guerra Mundial, campos de extermínio e de concentração foram criados com um único objetivo: aprisionar e matar pessoas.

Compreender a intolerância ao povo judeu é de suma importância para entender o Holocausto.

Campos de concentração e extermínio

Na medida em que a guerra ia se desenvolvendo, a perseguição aos judeus ia se acentuando. Ao fim do conflito, foi criada a “solução final”, um plano genocida que tinha como principal objetivo matar todos os judeus que habitavam no continente europeu, além dos homossexuais, ciganos, negros, entre outros.

Antes da guerra, os campos de concentração já existiam e eram locais voltados para a exploração da força de trabalho dos prisioneiros.

Após a eclosão da guerra, eles se transformaram em confinamentos militares nazistas que aprisionavam e matavam os sujeitos inferiores aos alemães – de acordo com os preceitos nazistas.

Nessa época foram criados os campos de extermínio, direcionados para o extermínio em massa – principalmente dos judeus.

Esses locais eram encontrados em vários países da Europa, pois os nazistas conseguiram invadi-los e, por isso, comportavam prisioneiros de todo o continente europeu

Os prisioneiros eram maltratados constantemente, com condições de higiene precárias e trabalhos exaustivos. Além disso, se alimentavam mal e não tinham roupas para suportar o frio.

Estima-se que cerca de seis mil pessoas morreram somente em um dia nas câmaras de gás ou por fome.

Prisioneiros chegaram a ser usados como cobaias para a realização de experimentos científicos.

Após a derrota alemã, os que ainda tinham vida foram libertos dos campos de concentração e extermínio. Somente com o fim do conflito e a libertação dessas pessoas que o resto do mundo ficou sabendo das terríveis práticas cometidas pelos nazistas.

Saiba mais em: Fascismo

você pode gostar também