Plânctons

Continue lendo para conhecer os seres microscópicos que vivem nos cursos de água.

0

O plâncton é composto por seres vivos microscópicos que vivem na água e servem de alimento para outros animais.

Eles se movimentam juntamente com a corrente de água e podem ser divididos em dois grupos: o zooplâncton e o fitoplâncton.

O zooplâncton é formado por organismos muito pequenos que não fazem fotossíntese, como os microcrustáceos.

Já o fitoplâncton é composto por organismos fotossintetizantes muito pequenos, ou seja, microalgas e microplantas.

Por serem os seres fotossintetizantes, o fitoplâncton é o produtor das cadeias alimentares aquáticas. Os principais componentes do fitoplâncton são as algas diatomáceas e os dinoflagelados.

Plâncton - Bioluminescência
Plâncton – Bioluminescência

Fenômenos que envolvem o plâncton

Os dinoflagelados fazem parte do fitoplâncton e estão envolvidos em dois fenômenos naturais: a maré vermelha e a bioluminescência.

Maré vermelha

A maré vermelha é um fenômeno natural que ocorre quando há um aumento expressivo de dinoflagelados naquele local.

Isso pode acontecer devido a mudanças bruscas de temperatura, aumento de salinidade, alterações no pH da água, excesso de poluição e/ou de matéria orgânica.

Como os dinoflagelados possuem muitos pigmentos, o excesso deles faz com que a água se torne avermelhada e tóxica, causando a morte de muitos animais aquáticos.

Plâncton - Maré vermelha
Plâncton – Maré vermelha

Bioluminescência

A bioluminescência é o fenômeno que ocorre quando um ser vivo emite luz com seu corpo. Esse processo pode ser observado não só nos dinoflagelados, como também em águas-vivas, vagalumes e etc.

O aumento de dinoflagelados bioluminescentes faz com que vejamos o mar brilhando no escuro e também pode ser causado por alterações de temperatura, pH ou quantidade de nutrientes disponível.

Plâncton - Bioluminescência
Plâncton – Bioluminescência

Veja também:

você pode gostar também