O que foi a Revolução Industrial?

A Revolução Industrial iniciou-se no século XVIII e segue contribuindo para os avanços em diversas áreas.

0

A Revolução Industrial é o nome dado às transformações econômicas e sociais ocorridas na Inglaterra a partir do final do século XVIII.

Este momento é marcado pelo intenso uso da máquina a vapor para a produção de mercadorias, principalmente tecidos, metalurgia e mineração.

Tais mudanças foram as responsáveis pela implantação da indústria contemporânea.

Foram criadas novas funções, novas demandas e novos mercados consumidores, conquistados por meio das armas, pois a industrialização demandava – e continua demandando – mercados em todo o mundo.

As transformações enfrentadas pelos europeus durante a Revolução Industrial não ocorreram de forma rápida.

Seu início remonta à Idade Moderna, quando a expansão marítima possibilitou o contato de pessoas oriundas das mais variadas regiões.

No entanto, foi na metade do século XVIII e início do XIX que as mudanças passaram a ocorrer mais rapidamente, desencadeando na Revolução Industrial.

Há estudiosos que dividem tal acontecimento em três fases:

Primeira Revolução Industrial

Esta fase compreendeu  de 1760 até por volta de 1840. Marcada pela introdução de máquinas e pelo progresso técnico, este período viveu uma intensa transformação no setor industrial.

O carvão passou a ser usado como fonte de energia, cumprindo um papel essencial para o funcionamento das indústrias têxteis, siderúrgicas e metalúrgicas.

Houve um aumento da produtividade com a mecanização dos processos, o que gerou o desenvolvimento do comércio e o aumento das exportações.

Esta fase foi marcada pela ascensão da burguesia que investia no setor industrial em busca de lucros. Ao mesmo tempo surgiu a classe trabalhadora, criando novas relações de trabalho.

Segunda Revolução Industrial

Esta fase compreende os anos de 1850 a 1950. Se comparada com a primeira fase, esta foi mais expressiva em termos de avanços tecnológicos.

A adoção do aço como principal instrumento para a construção de equipamentos, pontes, fábricas, estradas de ferro e automóveis foi de grande valia.

As ferrovias cumpriram um papel mais importante nesse período, pois eram as encarregadas de transportar produtos de forma mais rápida e em larga escala.

O petróleo tomou o lugar do carvão, enquanto fonte de energia. Ele era usado como combustível, além de ser a base de vários produtos, como o plástico.

Os trabalhadores continuaram vivendo em precárias condições, sem nenhum direito. Já a burguesia, enriquecia largamente.

Tal realidade aprofundou as desigualdades sociais, responsável pelo surgimento de sindicatos que agiam em prol dos trabalhadores. Por isso, esta fase é marcada pelo surgimento da consciência de classe

O Taylorismo e o Fordismo surgem nesse momento, diminuindo o tempo de produção ao mesmo tempo em que aumentava o volume da mesma.

Terceira Revolução Industrial

Esta fase compreende da década de 1950 até os dias atuais. Também chamada de Revolução Informacional ela se espalhou por todo o mundo.

Considerada uma revolução no setor científico e industrial, ela também atua em áreas como a tecnologia, biotecnologia, informática, genética, robótica, medicina, entre outras.

Neste momento é empregado o uso da energia atômica, utilizando elementos radioativos.

É importante destacar a Guerra Fria, um conflito marcado pela corrida espacial e armamentista protagonizada pelos Estados Unidos (capitalismo) e União Soviética (socialismo).

Outro ponto importante a ser destacado nesta fase é a globalização, responsável pela troca de informações realizada de maneira rápida, conectando todo o mundo.

Além disso, tivemos a implantação dos direitos trabalhistas, com a diminuição da jornada de trabalho, salário mínimo, proibição do trabalho infantil, entre outros.

No entanto, a garantia dos direitos trabalhistas não impediu que as desigualdade sociais se aprofundassem.

Saiba mais em:

você pode gostar também