Bicho geográfico

Continue lendo para conhecer essa doença parasitaria!

0

O bicho geográfico é conhecido também como larva migrans cutânea. Essa é uma infecção causada por larvas parasitas que vivem no intestino de animais domésticos como cães e gatos.

As duas principais causadoras dessa doença são o Ancylostoma braziliense e o Ancylostoma caninum, sendo este último o mais raro.

As fezes contaminadas com ovos, eclodem e dão origem as larvas dos parasitas que são deixados na terra ou areia, geralmente em locais quentes e úmidos.

Em contato direto com a pele, essas larvas se locomovem nas camadas da pele e deixam marcas do caminho, formando desenhos que se assemelham as linhas dos mapas, por isso a doença recebe esse nome.

Bicho geográfico
Bicho geográfico

Sintomas de bicho geográfico

  • Marcas vermelhas na pele em formas de linhas que podem aumentar de 2 a 5 centímetros por dia.
  • Coceira e bolhas na pele.
  • Pontos em relevo na pele, geralmente onde a larva entrou no corpo.
  • Em 75% dos casos, a contaminação ocorre nos pés e pernas, mas pode aparecer nas mãos e antebraços.
  • As crianças que brincam em areias são as mais afetadas.
  • A inflamação pode se curar sozinha ou, nos casos mais graves, levar meses para desaparecer.

Diagnóstico do bicho geográfico

O diagnóstico da infecção por bicho geográfico pode ser feito por um dermatologista, clínico geral ou infectologista.

Os sintomas clínicos, as marcas na pele e o histórico de viagens ou brincadeiras para locais com terra ou areia no último mês são fatores utilizados para diagnosticar a doença.

Tratamento para bicho geográfico

A infecção costuma desaparecer sem tratamento em algumas semanas, no entanto, fazer o tratamento indicado por um médico por aliviar os sintomas e prevenir de que surjam infecções oportunistas.

O tratamento para a infecção do bicho geográfico é baseado em medicamentos antiparasitários com ação contra vermes helmintos.

Prevenção do bicho geográfico

A melhor prevenção para a infecção de bicho geográfico é evitar ficar sem calçados em terra e areia que estejam contaminados com fezes de animais.

Para sentar-se no chão desses locais, é recomendado utilizar esteiras ou toalhas para formar uma barreira entre o solo e a pele.

Também deve-se evitar levar animais à praia, e se levar, recolher as fezes e destinar em local adequado.

Veja também:

você pode gostar também