O que é dislexia

A dislexia é percebida principalmente em crianças na idade de alfabetização, pois afeta a habilidade de ler e escrever.

0

A fase de alfabetização é muito difícil para uma criança, já que são várias coisas novas para se aprender. No entanto, para algumas crianças e suas famílias, essa fase se torna ainda mais delicada, pois esse aprendizado é dificultado por um transtorno chamado de dislexia.

O que é dislexia

A dislexia é um transtorno de origem neurológica que afeta a linguagem, sendo caracterizado pela dificuldade em interpretar textos e imagens. Dessa forma, a dislexia compromete a habilidade de aprender a ler e a escrever,  bem como compreender um texto.

A dislexia é um transtorno que pode ser corrigido com qualquer outro tratamento específico e ela não é relacionada ao quociente de inteligência (Q.I.).

O comportamento de pacientes disléxicos não é padronizado, alguns podem ser bons em disciplinas específicas como a matemática, outros mais organizados e alguns podem variar entre muito falantes ou extremamente tímidos.

A Associação Brasileira de Dislexia estima que o transtorno atinge de 0,5% a 17% da população mundial. Geralmente, a dislexia se manifesta na infância, durante a fase da alfabetização. Além disso, a dislexia afeta três meninos para cada menina disléxica.

Causas da dislexia

A dislexia é um transtorno genético e hereditário. Sendo assim, a causa da dislexia é uma alteração cromossômica que é transmitida entre as gerações de uma família. Por isso, é comum que vários membros da mesma família sejam afetados pela doença.

Por ser uma doença genética, não existe uma prevenção para a dislexia. Assim, a única forma de atenuar os sintomas do transtorno é proporcionando o tratamento ainda na infância.

Sintomas de dislexia

Como o transtorno pode se manifestar em diversos graus de gravidade, os sintomas podem ser mais ou menos intensos, mas não deixam de evidenciar a dislexia. Os sintomas de dislexia mais comuns são:

  • Dificuldade para ler e escrever;
  • Baixo ou nenhum entendimento de textos escritos;
  • Problemas para identificar fonemas (sons) e associar às letras;
  • Dificuldade em reconhecer rimas e aliterações;
  • Discalculia: dificuldade em decorar a tabuada, reconhecer símbolos e conceitos matemáticos;
  • Disgrafia: troca de letras, inversão, omissão ou acréscimo de letras e sílabas nas palavras;
  • Falta de organização temporal e espacial e de coordenação motora.

Caso algum  desses sintomas sejam identificados pela família ou pela escola, é necessário buscar ajuda de profissionais da saúde para confirmar o diagnóstico. Geralmente, o paciente passa por uma equipe de profissionais, como neurologistas, fonoaudiólogos e psicólogos, para descartar a possibilidade de outros transtornos, deficiências visuais e auditivas e problemas emocionais.

Tratamento de dislexia

Ainda não existe uma cura para a dislexia. No entanto, o tratamento adequado pode corrigir e diminuir a intensidade dos sintomas para proporcionar qualidade de vida ao disléxico.

Como o transtorno afeta vários aspectos da vida, vários profissionais participam do tratamento, como pedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos, para ajudar a evitar o comprometimento das habilidades de leitura, escrita e matemática. Além disso, os pais também devem auxiliar nesse processo, estimulando o desenho, a prática esportiva e a música.

Veja mais:

você pode gostar também