Angiospermas

As angiospermas são um dos quatro grupos de plantas classificados no Reino Plantae

0

Sabe quando você vai almoçar e faz aquele prato colorido de arroz, feijão, beterraba, abóbora, batata frita, alface, palmito e tomate? Você está se alimentando de angiospermas!

Angiospermas como alimentação

Isso mesmo! As angiospermas são um dos quatro grupos de plantas classificados no Reino Plantae e, é o único onde as plantas têm flores e frutos, ou seja, a maioria das plantas que você conhece (e come), provavelmente são angiospermas.

A maioria dos organismos fotossintetizantes do planeta fazem parte desse grupo, ele é um dos maiores em números de espécies.

Essas plantas podem habitar todos os ecossistemas pois tiveram um grande sucesso evolutivo.

Características das angiospermas

Essas plantas possuem vasos condutores, ou seja, o xilema que transporta seiva inorgânica (água e sais minerais) e o floema que transporta seiva orgânica (os compostos da fotossíntese).

São as únicas plantas que possuem flores e frutos, mas as sementes são uma característica compartilhada com as gimnospermas.

As flores e os frutos são parte da reprodução dessas plantas. Você já percebeu como as flores são diferentes umas das outras? Cada espécie com seu cheiro e sua cor característicos.

Isso acontece porque a flor é um órgão de reprodução, onde são gerados os gametas masculinos e femininos. Elas precisam da ajuda dos polinizadores para que aconteça a fecundação. Logo, a cor e o odor funcionam como um atrativo para esses polinizadores que irão levar o grão de pólen até o gameta feminino (chamado oosfera).

As flores podem ser únicas ou serem um agregado de flores, chamado de inflorescência, esse é o caso do girassol, por exemplo. Cada parte amarela que você acha ser uma pétala, na verdade é uma flor completa.

Inflorescência do girassol

Reprodução

A reprodução das angiospermas pode ser assexuada ou sexuada. A fase sexuada é chamada de haplodiplobionte ou alternância de gerações, nesse caso com a geração de esporófito extremamente reduzida.

As novidades evolutivas mais importantes para as angiospermas, que permitiram que elas obtivessem sucesso em todos os habitats do planeta, foram a dupla fecundação e a necessidade de polinização durante o ciclo. Essas são duas características exclusivas desse grupo.

A polinização faz com que a dispersão nesse grupo seja muito maior que em outros grupos de plantas. Já a dupla fecundação permite a formação do endosperma das sementes, que vai nutrir o embrião até o surgimento das primeiras folhas.

Classificação das angiospermas

Elas podem se dividir em monocotiledôneas e eudicotiledôneas:

  • Monocotiledôneas: têm 1 cotilédone (folha embrionária), flores com 3 ou múltiplos de 3 verticilos, folhas com nervuras paralelas e raízes fasciculadas (sem uma principal).
  • Eudicotiledôneas: têm 2 cotilédones, flores com 4 ou 5, ou ainda, múltiplos de 5 verticilos florais. Tem nervuras ramificadas e sistema de raízes com uma principal.
Mono e eudicotiledônea

 

Curiosidades

Você sabia que botanicamente as frutas não existem? Popularmente conhecemos como frutas aquilo que tem um sabor adocicado, agradável, podendo ser até azedo, mas que tá sempre presente na nossa mesa como um suco ou um lanche. Entretanto, essa definição não tem um significado na biologia.

O que as angiospermas têm são frutos! Uma estrutura resultante do desenvolvimento do ovário após a fecundação. Perceba que toda fruta é verdadeiramente um fruto, mas nem todo fruto nós consideramos uma fruta.

Por exemplo, podemos declarar a manga, a laranja e o pêssego como frutos e frutas. Mas o tomate, a berinjela, a abóbora apesar de serem frutos, não consideramos como frutas.

Na sua próxima refeição, tente descobrir o que são frutos e frutas no seu prato!

Veja também:

você pode gostar também
Deixe um comentário