Feudalismo

O feudalismo foi a forma como a Europa se organizou política, econômica e socialmente durante a Idade Média.

0
O feudalismo foi um modo de organização política, econômica e social que predominou na Europa durante a Idade Média. Esse sistema era baseado nas relações servis e na posse na terra. Sendo assim, as características do feudalismo influenciavam em toda a vida das pessoas da época.

O feudalismo tem origem na queda do Império Romano do Ocidente, no século V d.C., tendo predominado até o Renascimento Comercial e Urbano, que iniciou o capitalismo. No entanto, a influência do sistema feudal causou só foi extinta no começo do século XX em alguns países.

Feudalismo resumo

  • O feudalismo foi um modo de organização política, econômica e social praticado na Europa durante a Idade Média;
  • A origem do sistema feudal está relacionada à queda do Império Romano do Ocidente e à formação dos Reinos Bárbaros;
  • As principais características do feudalismo são a sociedade divida em estamentos, a economia baseada na agricultura de subsistência e o poder político descentralizado;
  • A hierarquia social tinha o rei no topo, seguido pela nobreza, pelo clero e, por fim, pelos servos;
  • Os senhores feudais eram os nobres proprietários de terras e a autoridade política dentro do feudo, podendo conceder terras para outros nobres em relações de suserania x vassalagem;
  • O clero tinha como função rezar, mas a Igreja também exercia influência política;
  • Os servos eram vinculados à terra, tendo que cumprir diversas obrigações para o senhor feudal, como a corveia e a talha;
  • O feudalismo chegou ao fim por uma série de motivos, como as Cruzadas, o desenvolvimento do comércio e das cidades, o aumento populacional, a Peste Negra, as revoltas camponeses e a crise na produção de alimentos.

Aprenda mais sobre essa organização política, econômica e social abaixo!

Origem do Feudalismo

Com as invasões germânicas, chamadas de bárbaras pelos romanos, o Império Romano do Ocidente foi decaindo até ser destruído, em 476 d.C. Por causa da decadência do Império, muitos nobres romanos e camponeses abandonaram as cidades para morar no campo, criando vilas que deram origem aos feudos.

Mais tarde, com a queda do Império, a Europa foi dividida em Reinos Bárbaros, que passaram a controlar divisões de terras. Nesse momento, os feudos passaram a ter senhores de origem germânica também. Dessa forma, as culturas romana e germânica se misturaram e consolidaram-se formas descentralizadas de poder, dando origem ao feudalismo.

Características do Feudalismo

As principais características do feudalismo são:

  • Economia baseada na agricultura de subsistência;
  • Ausência de comércio ou atividades mercantis e de um tipo de dinheiro;
  • Predomínio da troca para obter bens de consumo;
  • Poder descentralizado;
  • Mão de obra servil;
  • Sociedade estamental.

Estrutura do feudo

Os feudos eram grandes propriedades rurais compostas por um castelo, aldeias, terras para cultivo, capela e bosques. Os castelos eram grandes estruturas fortificadas onde moravam os nobres, enquanto as aldeias eram vilarejos simples próximos ao castelo onde moravam os servos.

As terras, por sua vez, eram divididas de forma semelhante, com uma área de produção dedicada exclusivamente ao senhor feudal, outra área dedicada a produção dos servos e uma pequena área dedicada à pecuária.

Sociedade feudal

A estrutura social do feudalismo era extremamente estamental e fixa. Dessa forma, o status era determinado por nascimento e as chances de mobilidade social eram baixas. O rei ocupava o topo da hierarquia e o restante da sociedade era dividida em três estamentos, ou classes sociais:

  1. Nobreza: proprietários de terras conhecidos como senhores feudais, que exerciam poder absoluto dentro de seus domínios, aplicava leis e concedia privilégios, e suas famílias;
  2. Clero: a função desse grupo era rezar, mas também influenciavam no poder político dos feudos;
  3. Servos: trabalhados presos a terra e que deviam cumprir uma série de obrigações com os senhores feudais.

Além disso, o último estamento também era composto por vilões, que eram homens livres que moravam na vila e também prestavam serviços ao senhor feudal, e escravos, geralmente denominados assim como pagamento de dívidas ou em guerras.

Economia feudal

A economia durante o período do feudalismo era bem simples. Cada feudo era autossuficiente, produzindo tudo que era necessário para seu sustento. Assim, a economia era baseada na subsistência, utilizando agricultura para produção de alimentos.

Além disso, nenhuma forma de moeda ou dinheiro foi desenvolvida no período, então não existia comércio. Dessa forma, eram feitas trocas para adquirir produtos.

Senhor feudal

O proprietário das terras é chamado de senhor feudal. De acordo com a Igreja, a função do senhor feudal era proteger seus servos. Assim, o senhor feudal formava exércitos e construía castelos para proteger a feudo dele. Além disso, toda a política no feudalismo era controlada pelo senhor feudal, que exercia poder ilimitado dentro da sua propriedade.

Os feudos eram transmitidos de pai para filho, mas também existiam três formas para se obter um feudo e, consequentemente, tornar-se um senhor feudal:

  1. Concessão do rei ou de um senhor feudal;
  2. Casamentos;
  3. Guerras.

Quando um senhor feudal concedia uma parte das suas terras para um outro nobre, esse senhor feudal se tornava o suserano desse nobre. Ao mesmo tempo, esse nobre se tornava um novo senhor feudal, mas era considerado vassalo do suserano. Nesse sistema, o vassalo jurava fidelidade ao seu suserano, além de pagar impostos e prestar auxílio militar. Do mesmo modo, o suserano prometia proteção militar e jurídica aos vassalos.

As redes de vassalagem estendiam-se por várias regiões, criando relações entre diversos feudos, já que a concessão de terras era comum entre os nobres. Assim, o rei era o suserano mais poderoso e até mesmo os senhores feudais mais ricos eram vassalos do rei.

Obrigações dos servos

Os servos eram a maior parte da população camponesa e sofriam com a intensa exploração. Por estarem presos à terra em que nasciam, os servos eram obrigados a prestar serviços aos nobres e pagar impostos e taxas em troca do direito de usar a terra e de proteção militar. As principais obrigações dos servos eram:

  • Corveia: trabalho obrigatório nas terras do senhor em alguns dias da semana;
  • Talha: entrega de parte da produção nas terras dos servos ao senhor;
  • Banalidade: taxa de uso dos instrumentos agrícolas e bens do feudo, como as pontes, as estradas e o forno;
  • Capitação: imposto pago por cada membro da família;
  • Mão Morta: taxa para uma família servil permanecer no feudo, em caso de falecimento do pai.

Além dessas taxas, os servos também deviam pagar o dízimo ou o Tostão de Pedro para a Igreja, que consistia em dar 10% de toda a produção para manutenção da capela do feudo.

Crise do Feudalismo

O feudalismo passou por transformações no século XI, durante o período chamado como Baixa Idade Média. Na época, houve o desenvolvimento de cidades e do comércio, o que causou o surgimento da burguesia, uma nova classe social.

Essas mudanças na Europa foram motivadas pelas Cruzadas, uma série de movimentos militares que tentavam ocupar a Terra Santa, no Oriente Médio. As Cruzadas fracassaram, mas contribuíram para aumento da circulação de pessoas e riquezas na Europa, estimulando o comércio e o crescimento urbano.

Com o crescimento das cidades, a demanda por produtos agrícolas cresceu. Assim, os servos vendiam o excedente produzido e compravam a sua liberdade para sair dos feudos viver nas cidades.

No entanto, a partir do século XIII, a ampliação de terras agrícolas por meio do desmatamento de florestas causou diversas mudanças climáticas que afetaram o rendimento das colheitas. Isso iniciou uma crise de alimentos na Europa.

Além disso, no século XIV, uma doença gravíssima chegou à Europa, gerando uma epidemia que matou milhões de pessoas, conhecida como Peste Negra. Dessa forma, boa parte da mão de obra dos feudos foi perdida, fazendo com que os senhores feudais endurecessem as obrigações dos servos restantes. Nesse contexto, os servos iniciaram diversas revoltas camponesas, enfraquecendo o sistema feudal.

Portanto, diversos fatores causaram o declínio desse sistema.

Com todas as mudanças sociais que aconteceram entre os séculos XI e XV, ficou nítido que o feudalismo não conseguia suprir as demandas da crescente população. Dessa forma, o feudalismo chegou ao fim junto ao fim da Idade Média e início da Idade Moderna, marcada pela globalização.

Veja também: 

você pode gostar também