Período Regencial (1831-1840)

O Período Regencial é a fase da história do Brasil em que o país foi governado por regentes.

0

O Período Regencial foi a fase da história do Brasil situada entre o Primeiro e o Segundo Reinado. Iniciou-se após Dom Pedro I abdicar do trono em favor de seu filho, Dom Pedro II.

No momento da abdicação, D. Pedro II tinha apenas cinco anos de idade, por isso, não poderia assumir a posição. Desse modo, o país começou a ser governado por regentes.

Assim, os anos de 1831 a 1840, se caracterizaram como um período de descentralização política que resultou em diversas rebeliões nas províncias do país.

Resumo

De acordo com a Constituição de 1824, Dom Pedro II só poderia assumir o trono brasileiro quando atingisse a maioridade.

Enquanto esse momento não chegava, o país passou a ser governado por regentes escolhidos por senadores e deputados.

Entretanto, essa situação causou conflitos entre diferentes grupos políticos, além de inúmeras revoltas contra o governo central.

Durante o Período Regencial, as províncias eram geridas por integrantes das elites regionais, formada por grandes comerciantes ou proprietários de terras.

Esses líderes, influenciados por princípios liberais, buscavam autonomia em relação ao governo central, disputando o poder com os políticos da capital federal, que, por sua vez, defendiam a centralização do governo.

Essa fase foi marcada pela disputa de três grupos políticos. Eram eles:

  1. Restauradores: formado por portugueses que tinham o interesse de manter o poder centralizado.
  2. Liberais moderados: formado por regentes e outros grupos políticos. Apoiavam a manutenção da monarquia, porém, o poder do imperador deveria ser limitado por uma Constituição. Estavam em maior quantidade.
  3. Liberais exaltados: composto pelas camadas médias, desejavam reformas políticas mais amplas, que envolviam a liberdade individual e a autonomia das províncias. Os mais radicais ansiavam pela implantação do sistema republicano.

O Período Regencial foi um dos mais instáveis após a Independência do Brasil, pois foi uma fase marcada por uma intensa disputa pelo poder central, em que era desconsiderada a qualidade de vida da população, que continuava péssima.

Diante de tal realidade, ocorreram diversas rebeliões contra o governo:

É importante destacar que esse período foi caracterizado por quatro regências diferentes. Foram elas:

  • Regência Trina Provisória (1831)
  • Regência Trina Permanente (1831–1834)
  • Regência Una de Feijó (1835–1837)
  • Regência Una de Araújo Lima (1837–1840)

O que aconteceu no Período Regencial?

O Período Regencial foi uma fase marcada pela descentralização do poder, que ficou concentrado nas mãos dos regentes e por uma série de rebeliões regenciais que desestabilizaram a unidade política e territorial do Império.

Essas revoltas foram a principal causa para a consolidação do Golpe da Maioridade, que marcou o início do Segundo Reinado, comandado por Dom Pedro II que assumiu o trono com apenas 14 anos de idade.

Quais são as principais características do Período Regencial?

As principais características do Período Regencial, são:

  • Descentralização do poder;
  • Governo comandado por regentes;
  • Disputas políticas;
  • Três importantes grupos políticos: restauradores, liberais moderados e liberais exaltados;
  • Rebeliões regenciais.

O que explica a existência do Período Regencial no Brasil?

O que explica a existência do Período Regencial no Brasil é a abdicação de Dom Pedro I ao trono do Império.

A população do país já vinha demonstrando uma profunda insatisfação com as práticas adotadas pelo imperador. A escolha de ministros aliados para compôr o Ministério em 1830 tornou a situação de Dom Pedro I insustentável.

Além disso, o assassinato do imigrante italiano e jornalista liberal, Líbero Badaró, aumentou a insegurança da população.

O dia 15 de março de 1831, marcou a Noite das Garrafadas, um episódio protagonizado por portugueses e brasileiros. Os primeiros organizaram uma grande festa para recepcionar D. Pedro I e demonstrar apoio ao mesmo. No entanto, os brasileiros reagiram jogando pedras e garrafas em direção aos apoiadores do rei.

Em abril do mesmo ano, D. Pedro I abdica do trono em favor de seu filho, D. Pedro de Alcântara. Como ele tinha apenas 5 anos de idade, José Bonifácio foi nomeado seu tutor e o país começou a ser governando por uma Regência.

Saiba mais em:

você pode gostar também